Sob o lema "Rosseto Neles", candidato foi aclamado em convenção neste sábado | Foto: Jonathas Costa / OA

O PSol de Alvorada confirmou, durante convenção realizada neste sábado (30) na Câmara de Vereadores, o nome de Rodinei Rosseto à Prefeitura. O vice na chapa será o advogado Moisés Matusiak, também do PSol. Cerca de 80 pessoas participaram do ato político, que confirmou ainda o nome dos doze candidatos à Câmara de Vereadores.

O presidente municipal da sigla, Alceu Junior, comandou o cerimonial. Entre os apoiadores estiveram o presidente da Ong Embrião, Josué Aguiar, o músico Marcelo Maresia, e o atual presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima), João Stasiuk, companheiro de chapa de Rosseto no sindicato. “Hoje estou presidente do Sima e espero assim ficar por um bom tempo, porque quero ver o Rosseto prefeito desta cidade”, discursou.

Os candidatos a prefeito de Viamão e Canoas pelo PSol, Guto Lopes e Paulo Sério, respectivamente, participaram do encontro e discursaram em tom de unidade na Grande Porto Alegre. “Tenho certeza que no dia 2 de Outubro faremos um cinturão amarelo na região Metropolitana para eleger prefeitos e prefeitas, vereadores e vereadoras do PSol”, projetou Guto Lopes.

O presidente municipal do PSTU, Anderson Vicente, confirmou que o partido dará apoio “informal” ao nome de Rosseto. “Será um voto crítico”, resumiu. Esta foi a primeira convenção da sigla na cidade. Para o advogado Rafael Lemos, a data marca a “saída do PSol de Alvorada da periferia dos partidos”.

O vice na chapa antecipou Rosseto no discurso e enumerou os motivos da escolha de filiação ao partido. “Conversei com muitos, mas todos com muito discurso e pouca prática. Diante de tudo isso eu decidi também vir pra luta e fiz contatos com as pessoas do PSol, que é o partido cujas bandeiras me agradam. Resolvi dedicar um pouco da minha vida para esse projeto,” justificou. Ele definiu o grupo de candidatos como pessoas de “capacidade e com comprometimento com a honestidade”.

Rodinei Rosseto foi o último a discursar. Sob gritos de “Rosseto neles”, o sindicalista e agora candidato a prefeito afirmou que sua candidatura é uma “luta de transformação de base e de quebra de trincheiras com relação à conjuntura de caos absoluto vivido na cidade”.

Ele citou ainda a coragem e a esperança dos colegas de partido. “Somos pessoas em transformações, não estamos prontos”, defendeu. Rosseto citou a proposta de reduzir o salário do prefeito e dos vereadores. “Vamos acabar com essa bandalheira para dar condições de implementação de políticas públicas.”

Ao finalizar o discurso, definiu o PSol como única alternativa para a cidade. “[Somos a] última trincheira do bem que se institui nesta cidade (…). Nós aqui tivemos a coragem de não coligar com nenhum desses, porque para nós eles não servem. É um clã que domina há 50 anos esta cidade, massacra e suga o povo”.

Fonte: O Alvoradense