Em vigor nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e no estado do Tocantins desde 21 de outubro do ano passado, o horário de verão termina na madrugada de hoje.

Para se adequar novamente ao horário normal, os moradores devem atrasar o relógio em uma hora.

O horário de verão economizou 2.477 megawatts (MW) no período de pico (entre as 18h e as 21h) nos estados em que foi implementado. Isso equivale a 4,5% da demanda máxima nos três subsistemas onde a mudança de horário vigorou. O balanço foi divulgado na sexta-feira pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Em nota, o diretor-geral do ONS informou que, dos 2.477 MW economizados, 1.858 MW foram no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste; 610 MW no Subsistema Sul; e 9 MW no Subsistema Norte (onde apenas o estado do Tocantins adotou o horário de verão).

O Rio Grande do Sul foi o Estado que registrou a maior economia na demanda de energia. Durante os 119 dias em que ficou em vigor, houve redução de 249 MW consumidos, valor que representa 4,9% da demanda normal. O Estado ficou à frente de Santa Catarina, que registrou economia de 4,8%, seguido do Paraná e Brasília, com 4,7%.

Com o ajuste no relógio, a segurança operacional do sistema elétrico nacional é beneficiada graças à diminuição dos carregamentos na rede de transmissão. Segundo o governo, a mudança do horário possibilita também uma melhor manutenção de equipamentos e a redução de cortes de carga em situações emergenciais, além de favorecer a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.

Fonte: O Alvoradense / Com informações da EBC