Testagem para Covid-19 ganha um novo espaço

Pacientes com encaminhamento médico serão atendidos próximo ao Centro de Saúde

218
Foto: Reprodução / OA

Devido ao grande número de pacientes que passaram a procurar o Centro de Saúde para realizar a testagem para Covid-19 desde que a variante Ômicrom chegou à região, a Secretaria Municipal da Saúde encontrou um novo local para atender a esta grande demanda.

Graças à parceria com a Secretaria Municipal da Educação (Smed), a partir desta quarta-feira (19), uma equipe assume os testes de Covid-19 na Escola Professora Glasfira Monroe Kurtz, prédio em frente ao Centro de Saúde, avenida Wenceslau Fontoura, 221.O horário de atendimento, somente para aqueles que possuam encaminhamento médico, será das 08h às 11h45 e das 13h às 16h45, de segunda a sexta-feira.

Atualização

Conforme dados atualizados pelo Painel Coronavírus RS da Secretaria Estadual da Saúde,  nesta quarta-feira (19), Alvorada chegou aos 24.116 casos de contaminação pelo coronavírus e um total de 828 alvoradenses mortos.

Já de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, desde o último boletim publicado nas redes sociais da Prefeitura de Alvorada, se somaram 536 novos casos e um óbito desde o último boletim, publicado em 12 de janeiro.

São 54 os pacientes em acompanhamento e a recuperação chega à marca de 92,1% dos casos confirmados. Até terça-feira (18) Alvorada possuía cinco pacientes hospitalizados.

O quadro de vacinação contra a Covid-19 é de:

1ª dose: 75,9% da população

2ª dose: 61,4% da população

Reforço: 8,6% da população

Temporal

O temporal que atingiu o município na noite de segunda-feira (17) provocou queda de energia elétrica na Unidade Básica de Saúde (UBS) São Francisco, que funcionava como um dos pontos de vacinação contra a Covid-19. Com isso, a câmara fria que armazena os imunizantes parou de funcionar, e 250 doses corriam o risco de ser perdidas.

Cientes do problema, a equipe da UBS suspendeu a vacinação. A remessa foi então levada à Coordenadoria Regional de Saúde do governo do Estado, onde será feita uma avaliação sobre as condições para uso dos imunizantes.

“Geralmente é possível recuperar as vacinas caso fiquem menos de 24 horas sem refrigeração. Por isso, esperamos que elas sejam aproveitadas em algum outro local”, avaliou a enfermeira Evelise Machado, responsável pela distribuição dos imunizantes às UBSs.