Alvorada está prestes a entrar no seleto grupo de cidades brasileiras que tratam mais de 37% do esgoto produzido pela população, índice considerado a média nacional. Em se tratando da realidade das cidades da Região Sul, a situação é ainda pior: 33%.

Mas segundo o presidente da Corsan, Arnaldo Dutra, em dezembro deste ano os alvoradenses já devem contar com 67% do esgoto recebendo alguma forma de tratamento.

O número será alcançado quando as obras do Sistema Integrado Alvorada Viamão estiverem concluídas. A companhia captou mais de R$ 201,5 milhões junto ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para viabilizar o projeto. São 71 quilômetros de redes coletoras e a construção de uma estação de tratamento de esgoto.

“Estes recursos irão beneficiar mais de 180 mil habitantes e garantir que Alvorada tenha o potencial de tratar 67% do seu esgoto e Viamão 47%, números acima da média nacional”, afirmou Dutra, que esteve reunido com o Prefeito Professor Serginho nesta sexta-feira.

O prefeito destacou a importância do trabalho conjunto entre o município e a Corsan: “Queremos estar em sintonia com a Companhia e a população. Nosso maior objetivo é garantir mais qualidade de vida para todos os alvoradenses”, disse.

Novos investimentos 

O número que já é bom, pode ficar ainda melhor. Para ampliar o sistema de esgotamento sanitário de Alvorada, a Corsan solicitou na nova janela do PAC mais R$ 55 milhões.

O projeto contempla cerca de 100 quilômetros de redes que garantirão que o município atinja o potencial de tratar 84% do seu esgoto, universalizando este serviço. A expectativa é que este resultado seja anunciado ainda no primeiro trimestre de 2013.

A companhia estuda ainda formas de reassentar as famílias que moram no trecho da obra. A solução seria a construção de unidades habitacionais, já licitadas pela Corsan. A área, que será cedida pela prefeitura, ainda está em estudo. A decisão será tomada em conjunto com os moradores, garante a empresa.

Fonte: O Alvoradense