EMOÇÃO E REALIDADE. Trabalho de Jorge Aguiar e Tadeu Vilani mostra a realidade dos moradores de um dos bairros mais carentes de Alvorada através de fotos em preto e branco. A parceria entre os dois fotógrafos já dura 16 anos. | Foto: Jorge Aguiar / Divulgação / OA

Há 16 anos o fotojornalista Jorge Aguiar se dedica a documentar o dia-a-dia do bairro Umbu. Seu trabalho mostra a comunidade, seus personagens, suas essências e belezas. Em seus mergulhos dentro das periferias ele afirma que utiliza o equipamento a serviço das comunidades. “Para descobrir as belezas escondidas pelas camadas de terra e argila me sinto um garimpeiro que usa uma câmera de fotografia no lugar da peneira”, define seu trabalho, que agora ganhará repercussão internacional.

O convite para levar as fotos para o outro lado do mundo o pegou de surpresa. A partir do dia primeiro de setembro parte do trabalho da Ong Luz Reveladora Photo da Lata – Projeto Umbu será destaque no Iraque. A mostra é organizada pela ONG Larsa Human Rights Iraq, que defende os direitos humanos e protege órfãos e meninos de rua de Bagdá e de outras cidades. A exposição, que ocorre em Bagdá de 1º a 3 de Setembro, passa depois pela cidade de Dohuk entre os dias 7 e 10 do mesmo mês.

O evento visa utilizar a fotografia para promover o encontro entre as culturas e as causas defendidas pela organização.

Jorge Aguiar e Tadeu Vilani | Foto: Arquivo Pessoal / OA

Trabalho já foi premiado

A escolha em retratar um dos bairros mais carentes de Alvorada não foi a toa. Jorge afirma que percebeu na cidade e, em especial no bairro Umbu, uma necessidade de dar a população local meios de sobrevivência dignos. Foi então que decidiu qualificá-los através da fotografia. São 16 anos de projeto e de parceria com o também fotógrafo Tadeu Vilani.

O belo trabalho já lhes renderam prêmios, entre eles o reconhecimento da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em 2003, como o melhor projeto de divulgação dos direitos humanos no Estado. A dupla também já foi premiada pela Unesco.

A mostra em exposição no Iraque reúne fotógrafos brasileiros e iraquianos e deve virar um livro. Mais tarde um documentário com as fotografias que retrataram histórias de moradores de algumas das maiores periferias do mundo também será elaborado.

 

Fonte: Amanda Fernandes / O Alvoradense