Moradores da avenida Castelo Branco devem ser ouvidos sobre a proposta de troca de nome da via na zona Oeste da cidade | Foto: Reprodução/OA
Moradores da avenida Castelo Branco devem ser ouvidos sobre a proposta de troca de nome da via na zona Oeste da cidade | Foto: Reprodução/OA

Um projeto de lei protocolado pelo vereador Juliano Marinho (PT) na Câmara de Vereadores de Alvorada, com a coautoria do vereador Vânio Presa (PMDB), propõe a alteração do nome da avenida Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, localizada no bairro Água Viva – zona Oeste da cidade –, para avenida Leonel de Moura Brizola.

A intenção dos parlamentares é excluir de Alvorada as honrarias aos responsáveis pelo Golpe de 1964, que completa no próximo dia 1º 50 anos. O regime ditatorial, com perseguições, assassinatos e desrespeito a democracia, perdurou por 21 anos no Brasil.

“Essa não é uma mera troca de nome de uma rua ou avenida, mas sim um gesto de respeito àqueles que sofreram com o Golpe. É inadmissível que ainda haja homenagens às pessoas que aplicaram este golpe ao nosso povo”, explica Juliano.

“Castelo Branco foi um dos chefes da conspiração que golpeou a democracia em nosso país em 1964, foi o mais truculento e violento dos ditadores, manter tal denominação é conservar viva a memória de gente que perpetrou crimes contra a democracia, a cidadania e a vida”, completou.

O projeto retira o nome do ditador e presta homenagem a Leonel Brizola, único político eleito para governar dois Estados, o Rio Grande do Sul (1959-1963) e o Rio de Janeiro (1983-1986). Brizola foi ainda um dos principais líderes que defendeu o país da tentativa de golpe em 1961, conhecido como movimento da Legalidade, bem como da redemocratização, ao lado de Lula, Ulisses Guimarães e João Amazonas.

“Brizola, foi um homem que lutou pela democracia e por uma educação de qualidade, foi um militantes que nos deixou há exatamente 10 anos, mas seu legado permanece e ainda orienta milhares de militantes de diversos partidos” lembra o vereador, que conta com o apoio de diversas entidades e militantes sociais ao projeto.

Juliano anunciou ainda que vai conversar com os moradores da avenida para solicitar apoio ao projeto.

Fonte: O Alvoradense