Projeto foi aprovado durante a última sessão do ano, que também foi marcada pela posse da nova Mesa Diretora | Foto: Divulgação / OA

Em meio à crise financeira que atinge Alvorada – e que levou a Prefeitura a parcelar salários -, os vereadores aprovaram a criação de 17 cargos de assessoria legislativa na última sessão de 2015.

O projeto foi apresentado pela Mesa Diretora e parece contrário à austeridade econômica defendida pela Casa para a conclusão da nova sede da Câmara, a ser inaugurada neste ano.

Conforme o presidente reeleito, vereador Gerson Luis, a proposta de criação dos cargos é o resultado de um acordo firmado entre os demais vereadores. Segundo Gerson, as vagas criadas não serão ocupadas de imediato.

“A economia para conclusão da obra não acontece com os 70% da receita da Câmara destinados a despesas com pessoal”, afirma Gerson. Segundo ele, será deste percentual os valores a serem aplicados “caso os cargos de assessoria à Mesa Diretora sejam ocupados a partir de março”.

A votação e aprovação aconteceu durante sessão extraordinária em 30 de dezembro, quando também foram votados outros cinco projetos do Executivo e foi empossada a presidência para o próximo período.

Segundo Gerson, a aprovação do projeto ocorreu de forma unânime.

Dados do Portal da Transparência da Câmara indicam que até novembro haviam dois cargos de Assessor Legislativo, cada um com salário de R$ 1.990,00. Com a criação das 17 vagas, o valor gasto saltará para R$ 37.810,00 ao mês. Se todas as vagas forem ocupadas de janeiro á dezembro, a Câmara vai utilizar R$ 453.720,00 apenas para pagar os assessores legislativos.

Fonte: O Alvoradense