Futuro da presidente será decidido neste domingo pelos deputados federais | Foto: José Cruz / Agência Brasil / OA

Na véspera da votação na Câmara dos Deputados que decide sobre a abertura ou não do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, 70% se dizem a favor da saída da petista do governo Federal em Alvorada, 22% são contrários e 8% estão indiferentes. É o que revela um levantamento feito pelo jornal O Alvoradense no sábado (17).

A pesquisa entrevistou 50 pessoas nas ruas da cidade levando-se em consideração os critérios de gênero (54% feminino e 46% masculino) e renda definidos pelo último censo do IBGE. Os níveis de rendimento foram divididos entre os que não possuem (32% dos entrevistados), os que recebem mais de um salário mínimo (20%), os que recebem mais de um até o limite de dois salários (30%) e os que recebem mais do que dois salários mínimos (18%).

[wp-svg-icons icon=”file-4″ wrap=”b” color=”#dd9933″] Entenda o processo do impeachment

O apoio ao processo de impeachment foi maioria em todas as faixas de renda. Quanto maior o valor do salário dos entrevistados, contudo, menores foram os índices de apoio à retirada da presidente do poder.

Independente do desejo pessoal de querer ou não impeachment, os que acreditam que ela realmente será retirada do poder foram apenas 46%. Outros 42% acham que Dilma não será afastada e 12% não souberam dizer.

Os entrevistaram também foram questionados se o afastamento da presidente é a solução para a crise política e econômica do Brasil. Nesta hipótese, 56% disseram que não acreditam em melhorias no país com a saída de Dilma Rousseff, 34% disseram que sim e 10% não souberam dizer.

A avaliação do governo Dilma é descrita como ruim ou péssima por 70%, regular por 16% e boa ou ótima por 14%.

Confira os números da pesquisa:

Fonte: O Alvoradense