Foto: Defesa Civil / Divulgação / OA

Apesar da chuva ter parado em todo o Estado, o nível dos rios e arroios está voltando ao normal de forma lenta. A projeção da Defesa Civil de Alvorada é que, ao longo desta terça-feira (14) o nível do arroio Feijó reduza em 15 centímetros, o que possibilita que algumas famílias retornem para casa.

Ao todo foram resgatadas 35 famílias, algumas levadas para casas de familiares e outras para novos endereços. Conforme o diretor da Defesa Civil, Vilmar Antunes Laureano, chamou atenção que a maioria das pessoas atingidas moravam de aluguel e não sabiam dos riscos de cheias. Muitas delas já providenciaram a mudança definitiva, com o auxílio da Defesa Civil.

“Não medimos esforços para ajudar quem estava dentro d’água ou com ameaça”, disse Vilmar, que há 12 dias está trabalhando sem descanso, “quando é para ajudar o próximo, tudo vale a pena”, conclui.

Quantos aos julgamentos que vem recebendo, convidou os críticos a “descer para ajudar o povo alagado”.

Em live da página da Prefeitura de Alvorada nas redes sociais, nesta manhã, o diretor informou que serão colocados containers em cada esquina para recolher os lixos e haverá um caminhão caçamba para recolher os detritos nas casas do final das ruas alagadas.

Para os moradores que precisem de atestados para justificar falta ao trabalho, ele orientou que procurem a Defesa Civil pelo fone (51) 3044.8687, que fornece o documento.

Ajuda

Além de retirar as famílias atingidas, agentes da Defesa Civil e membros da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos também colocavam lonas e paletes, na tentativa de elevar os móveis e salvar o maior número de bens.