Vídeo publicado no Facebook mostra correria de jovens em meio ao acampamento | Foto: Reprodução / OA

Uma briga iniciada no banheiro do posto de combustível na altura da parada 48 na avenida Presidente Getúlio Vargas no início da noite desse domingo acabou evoluindo para um tumulto de grandes proporções em pleno Acampamento Farroupilha, que fica do outro lado da avenida.

Dezenas de jovens, entre eles muitos com menos de 18 anos, invadiram o acampamento instantes antes de um grupo mirim iniciar as apresentações da noite no tablado principal. Houve arremesso de garrafas, socos e chutes. Com o tumulto generalizado, crianças e mulheres se trancaram dentro dos piquetes.

Testemunhas relataram que o grupo estava a procura de homens pilchados. Há duas semanas um homem, que estava sob efeitos de álcool e drogas, foi esfaqueado dentro do Acampamento durante uma discussão. O arrastão desse domingo pode ter sido em retaliação ao primeiro incidente.

Ana Paula Lauffer, subdiretora artística de Alvorada, estava no acampamento no momento do tumulto. Segundo ela, o grupo entrou derrubando tudo que via pela frente. “Foi horrível, as crianças começaram a chorar e nos trancamos nos piquetes”, detalha.

Como neste ano o Acampamento é promovido exclusivamente pelos CTGs, sem o apoio da Prefeitura, seis seguranças privados foram contatados pelos próprios tradicionalistas. “Mas eram seis contra uma turba, não tinha o que fazer”, conta Ana Paula. Foi ela quem ligou para a Brigada Militar solicitando apoio. “Foram três ligações e me disseram que Alvorada só dispunha de uma viatura operando naquele momento e que quando desse eles viriam verificar o que estava ocorrendo.”

Um grupo de homens ligados aos CTGs acabou utilizando relhos e mangos para dispersar os jovens. Segundo os tradicionalistas, quase uma hora após o tumulto, viaturas da Brigada Militar foram até o posto de combustível e o grupo acabou indo embora.

Apesar de confirmar que pessoas ficaram feridas durante o incidente, ainda não há um número oficial. Segundo Marta Beyer, subcoordenadora de Alvorada da 1ªRegião Tradicionalista, entre os feridos há crianças de quatro e seis anos.

Procurada, a Brigada Militar ainda não se pronunciou. Um protesto dos grupos tradicionalistas está marcado para ocorrer a partir das 14h em frente a sede do 24º BPM pedindo mais policiamento na região.

Fonte: O Alvoradense