Algumas regiões da cidade ficaram completamente alagadas e seguem sem água potável | Foto: Jonathas Costa / Arquivo OA
Algumas regiões da cidade ficaram completamente alagadas e seguem sem água potável | Foto: Jonathas Costa / ArquivoOA

Algumas autoridades de Alvorada se movimentam em busca de uma resposta da Corsan. O não abastecimento de água em todos os bairros já dura mais de um dia. A situação preocupa moradores, que não contam com muitas alternativas. As bicas estão com muita procura e os mercados inflacionaram os preços se aproveitando da alta de mais de 80% nos pedidos.

A prefeitura exige medidas emergenciais para sanar o problema. O prefeito Professor Serginho contatou o Superintendente Metropolitano da Corsan, André Gutierres, pedindo uma alternativa imediata. Desde 12 de julho a cidade decretou situação de emergência. As cheias já atingiram mais de 11 mil pessoas. Outros tantos perderam suas casas e estão abrigados no Ginásio Municipal Tancredo Neves.

• ASSINE: Receba a edição impressa do jornal O Alvoradense em casa

Estações de abastecimento da Corsan inundaram e trazem risco de incêndio | Foto: Divulgação
Estações de abastecimento da Corsan inundaram e trazem risco de incêndio | Foto: Divulgação

O vereador Juliano Marinho protocolou nesta terça-feira (21) um pedido de Audiência Pública imediata para discutir a questão. As estações de abastecimento da Corsan inundaram, então a empresa decidiu desligar por risco de incêndio. O que preocupa o parlamentar é a falta de avisos e garantias de volta. O foco do debate é o planejamento.

A situação também fez o vereador Marcus Thiago se manifestar. Em rede social, o político salienta o trabalho que tem sido feito por prefeitura, polícia, Defesa Civil, funcionários públicos, dentre outros. Destaca, porém, que é inaceitável a total falta de abastecimento de água da Corsan.

• FOTOS: Ginásio Municipal recebe desabrigados pelas enchentes

Em breve deve ser divulgada uma lista com os pontos em que terão caminhões-pipa para auxiliar a população. Um planejamento inicial havia sido feito, entretanto, os planos foram alterados. Dessa forma, ainda não há como precisar os locais de atendimento pontual da Corsan.

Fonte: O Alvoradense