A Caixa Econômica Federal anunciou no começo da tarde desta quarta-feira a redução de até 25% das tarifas. O corte que é válido para pessoas físicas e jurídicas segue a determinação do Banco Central que se refere às taxas classificadas como prioritárias, como o fornecimento da 2ª via de cartões, fornecimento de folhas de cheque, saques e transferências. As reduções entram em vigor no próximo dia 15. As tarifas de saques baixaram de R$1,30 para R$1,15 e a taxa do DOC/TED passou de R$7,50 para R$ 6,50.

O preço da cesta padrão de serviços do banco também baixou de R$ 10 para R$ 9,50 mensais. Na segunda-feira, dia 8 o Banco do Brasil havia cortado suas tarifas em mais de 30% reduzindo o preço desta mesma cesta para R$9.90.

Além das reduções a Caixa vai isentar novos clientes da taxa de confecção de cadastro, que é de R$30 para pessoas físicas e de R$28,50 para pessoas jurídicas. Segundo o presidente da Caixa, Jorge Hereda, afirmou em nota oficial ao diminuir os custos de manutenção e serviços, o banco pretende atrair novos clientes e valorizar os atuais. “A Caixa mantém como política atuar com as melhores taxas do mercado. Durante o ano, reduzimos em diversas oportunidades os nossos juros. Agora, promovemos redução das tarifas de serviços. O objetivo é atrair ainda mais clientes, da mesma forma como aumentamos nossa base a partir das reduções de juros”, comentou.

De acordo com a instituição, houve aumento na articipação da Caixa no crédito nacional de 13 para 14,3% de março a a agosto de 2012.O banco atribuiu o resultado ao programa Melhor Crédito de redução de juros iniciado no mês de abril. Ao longo desse período, a carteira do banco passou de R$ 268,8 bilhões para R$ 316 bilhões. Segundo a Caixa, a inadimplência tem se mantido estável nos últimos 12 meses.

A instituição informou o corte das taxas começou em abril e desde então cerca de 88% das taxas de juros foram reduzidas.O volume de recursos colocados no mercado superou em 32,2% ao mesmo período de 2011. A meta da Caixa é contratar mais de R$ 185 bilhões em crédito comercial para pessoas físicas e empresas em 2012.

Fonte: O Alvoradense