Pais de alunos estão apreensivos, mas direção da escola garante que não há motivo para pânico | Foto: Jonathas Costa / OA
Pais de alunos estão apreensivos, mas direção da escola garante que não há motivo para pânico | Foto: Jonathas Costa / OA

A direção da Escola Municipal Paulo Freire, no bairro Santa Bárbara, na zona Sul de Alvorada, em conjunto com a Secretaria de Educação, decidiu suspender as aulas nesta sexta-feira (10), após a confirmação de um caso de meningite viral na instituição.

Segundo a diretora da escola, Lisiane Boelter, não há motivo para pânico. “A criança não vinha para a escola desde sexta-feira. Todos que tiveram contato com ela também não estão vindo para a escola. Não há risco de contágio”, assegurou. Ainda assim, em virtude da comoção da comunidade escolar, as atividades foram suspensas até segunda-feira.

Não foram divulgados informações sobre a criança, que é um menino e está internado tratando da doença. No caso de Alvorada, diferente de Cachoeirinha, a meningite é viral. A meningite viral pode ser causada por diversos tipos de vírus e é a forma mais comum e menos perigosa de meningite, pois muitas vezes nem exige tratamento. Os vírus causadores da meningite podem ser transmitidos via alimentos, água e objetos contaminados.

Já em Cachoeirinha, onde uma criança já morreu e a prefeitura decretou situação de emergência, a meningite é bacteriana, a mais grave dos tipos da doença. Ela ocorre geralmente quando a bactéria entra na corrente sanguínea e migra até o cérebro. Pode acontecer, também, de a doença ser desencadeada após uma infecção no ouvido, fratura ou, mais raramente, após alguma cirurgia. Existe mais de uma bactéria capaz de transmitir a doença.

O caso de uma professora, também do Paulo Freire, com sintomas da doença, foi descartado. Segundo Lisiane, tratava-se apenas de uma gripe.

Prefeitura mantém alerta, mas pede calma
Por meio da Coordenadoria de Comunicação Social (CCS), a prefeitura informou que devido ao surto da doença em Cachoeirinha, todo caso suspeito em Alvorada será tratado como “potencialmente suspeito”. Ainda assim, não há motivo para pânico. “A cidade possui estoque suficiente de vacinas para tratar de surtos comunitários”, informou o coordenador do órgão, Charles Scholl.

Fonte: O Alvoradense