Lixo está acumulado pro várias ruas da cidade e não há previsão para a volta do serviço | Foto: Jonathas Costa / OA

A empresa Ecopav, responsável pela coleta de lixo em Alvorada há cinco meses, voltou a suspender o recolhimento de resíduos domiciliares na cidade. Desde sábado nenhum caminhão circula pelos bairros de Alvorada. O motivo é a falta de pagamentos por parte da Prefeitura. Na semana passada o serviço também chegou a ser suspenso.

Segundo a companhia, os vencimentos de agosto ainda não fora quitados e na última semana venceu o prazo para pagar os custos relativos a setembro. Com isto, a dívida supera R$ 1 milhão.

Com dificuldades financeiras, o governo já havia firmado uma negociação que previa pagamentos semanais, a fim de diluir o peso da despesa junto ao cofre único. Os pagamentos, contudo, começaram a atrasar ou, quando quitados, eram em valores bem inferiores à dívida.

A Ecopav possui dois contratos com a Prefeitura de Alvorada. Um para a coleta do lixo domiciliar e a outra para o transbordo dos resíduos para Minas do Leão. O custo dos contratos giram em torno de R$ 600 mil por mês.

Ainda de acordo com a empresa, as dívidas impedem a execução do serviço. “Não temos nem o dinheiro para colocar o diesel”, revela uma fonte. Os últimos valores pagos não teriam conseguido superar sequer parte da folha de pagamento da empresa com funcionários.

Em nota enviado ao jornal O Alvoradense na semana passada, a Prefeitura se limitou a comentar que “está tomando medidas administrativas e judiciais para o imediato restabelecimento da prestação de serviço”.

A empresa prevê que para conseguir retomar os serviços seja necessário pagar pelo menos R$ 500 mil dos valores atrasados. Com o impasse, o recolhimento de lixo na cidade fica em suspenso e sem previsão de retorno.

Fonte: O Alvoradense