Giovana ficou em segundo lugar na corrida pela Prefeitura | Foto: Everton Carvalho / Especial / OA

Apesar do resultado eleitoral negativo, em segundo na votação com a conquista de 14.004 votos, a candidata do Partido dos Trabalhadores, Giovana Thiago, considera que politicamente foi positivo o saldo das eleições 2016. Ela recebeu o jornal O Alvoradense no escritório da deputada Stela Farias em Alvorada e falou da campanha e do futuro seu e do PT em Alvorada, como oposição ao governo que assume em janeiro próximo.

Dentro do cenário municipal de dificuldades econômicas, desgaste político em nível nacional “em nossa avaliação, uma intencional criminalização dos partidos, principalmente do PT” e o completo descrédito da política, Giovana considerou o resultado como dentro do esperado.

Lembrou que sua candidatura foi uma das últimas a serem apresentadas aos eleitores, com o agravante de ter concorrido pela primeira vez a cargo no Executivo. “Mesmo assim, com toda a resistência à política, conseguimos que a nossa proposta chegasse a uma grande parcela da população”, comemora. No seu entender, o que faltou foi tempo para chegar em toda a cidade e coversar com ainda mais pessoas, que ela acredita estão representadas no grande número de votos brancos e nulos registrados nas urnas.

Outra comprovação observada pela candidata petista, foi o fato da ex-prefeita e deputada Stela seguir com crédito na cidade. “As pessoas a reconhecem como a melhor prefeita que Alvorada já teve”, afirma.

Diretório municipal
Retomando seu trabalho junto à deputada e como presidente municipal do PT de Alvorada, Giovana diz que, junto com Stela, vai seguir trabalhando “pela melhoria da cidade e para os alvoradenses”.

Entre os passos a serem seguidos nos próximos quatro anos, em primeiro lugar, diz ela, está a busca de recursos para a cidade, seguida da organização da comunidade para as “lutas essenciais pelos direitos e qualidade de vida”, dando como exemplo o combate à PEC 241.

Há também a disposição de garantir conquistas da cidade, como os 250 leitos do Hospital de Alvorada, garantidos pelo Governo do Estado e agora suspensos, a obra do Dique e os projetos do PAC para as avenidas Presidente Getúlio Vargas e Frederico Dihl.

Quanto ao governo Appolo, que assume em 1º de janeiro, diz que o partido terá uma relação republicana de oposição, aguardando os caminhos que o novo prefeito vai escolher para, se necessário, reagir em busca sempre do melhor para a cidade.

Fonte: O Alvoradense