O líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral, chegou a ser preso e ofereceu delação premiada | Foto: Wilson Dias / Agência Brasil / OA

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) entregou ao Ministério Público Federal (MPF) gravação feita por seu assessor Eduardo Marzagão de dois encontros realizados, em dezembro do ano passado, com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e um com a assessora do ministro.

As informações constam do Termo de Colaboração Premiada nº 5 firmado entre o senador e o MPF.

[wp-svg-icons icon=”file-4″ wrap=”b” color=”#dd9933″] STF homologa delação Delcídio na Lava Jato

De acordo com o documento, após ser informado por Eduardo Marzagão que a famíla de Delcídio passava por problemas financeiros (despesas com advogados), Mercadante teria oferecido ajuda financeira à família de Delcídio para arcar com custos de advogados “por meio de empresa ligada ao PT” .

Mercadante teria dito também que intercederia junto aos presidentes do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, e do Senado, Renan Calheiros, no sentido de favorecer a soltura de Delcídio.

Ainda segundo o documento, Delcídio disse que Mercadante teria agido como emissário da presidente da República, Dilma Rousseff, e, “portanto, do governo”.

Aloizio Mercadante esteve reunido nesta terça-feira (15) com a presidenta Dilma Rousseff, mas deixou o encontro sem falar com a imprensa. Mercadante dará uma entrevista coletiva sobre o assunto ainda nesta tarde.

Fonte: Agência Brasil