Dilma chegou a Nova York na manhã desta segunda-feira | Foto: Roberto Stuckert Filho/PR/OA
Dilma chegou a Nova York na manhã desta segunda-feira | Foto: Roberto Stuckert Filho/PR/OA

A presidente Dilma Rousseff chegou nesta segunda-feira (23) a Nova York, onde fará o discurso de abertura da 68ª Assembleia Geral das Nações Unidas na manhã desta terça-feira (24).

Uma das principais mensagens que ela pretende passar em sua fala na ONU é propor o que ela chamou de “nova governança contra a invasão de privacidade”. O tema é consequência das denúncias da espionagem feita pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NAS, na sigla em inglês) e que levaram a presidente a adiar a visita de Estado que faria a Washington em outubro.

As denúncias foram publicadas nos últimos meses a partir de dados divulgados pelo norte-americano Edward Snowden, ex-funcionário de uma empresa que prestava serviço para o governo norte-americano. Há denúncias de que cidadãos comuns de vários países e, inclusive, a presidente Dilma, seus assessores e a Petrobras tenham sido espionados.

Dilma adiantou que esse será também o principal tema a ser tratado em seu discurso durante a Cúpula do G20, realizada início do mês em São Petersburgo, na Rússia.

Antes do discurso, previsto para as 9 horas, ela se encontra com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Dilma será a primeira chefe de Estado a falar, sendo seguida pelo presidente norte-americano Barak Obama, com quem conversou na semana passada sobre as denúncias de espionagem e cobrou explicações.

Fonte: Agência Brasil