Reunião do diretório nacional do PMDB, que oficializou o desembarque do governo federal | Foto: Igo Estrela/ PMDB Nacional / OA

O PMDB decidiu sair da base aliada de Dilma Rousseff (PT) nesta terça-feira (29), em reunião do Diretório Nacional. O partido tem até o dia 12 de abril para deixar todos os cargos ocupados no governo, que inclui sete ministérios.

A sigla ainda irá definir se a saída acontecerá de uma única vez ou gradual. Na reunião foi decidida a desvinculação com a base aliada em votação que contou com mais de cem dos 127 integrantes do Diretório Nacional. Quem contrariar a decisão fica sujeito à instauração de processo no conselho de ética do partido.

Apesar disso, alguns dos ministros peemedebistas não confirmaram que irão sair do governo. Celso Pansera, da pasta de Ciência e Tecnologia, anunciou publicamente que pretende seguir na base aliada e não tem intenção de deixar o PMDB. Existe a chance de o mesmo acontecer com Marcelo Castro, da Saúde, e Kátia Abreu, da Agricultura.

Seguindo a decisão do Diretório Nacional, Eduardo Braga, de Minas e Energia, e Mauro Lopes, de Aviação Civil, manifestaram intenção de deixar o governo. Contudo, os ministros pediram um prazo maior para organizar a saída.

Fonte: O Alvoradense / Com informações da Agência Brasil