Domingo foi de alegria e diversão para quem participou do Passeio Ciclístico com as biciletas adaptadas pela ONG Embrião | Foto: Jonathas Costa / OA

Muita gente não sabe, mas em Alvorada existe uma ONG que é referência quando se fala em preservação ambiental e esportes. Em 13 anos de atuação, uma das maiores e mais reconhecidas instituições do terceiro setor do Estado tem sua base e a maior parte de sua atuação aqui na cidade. Promovendo cidadania e esporte, a ONG Embrião aproxima alunos da rede municipal da importância da educação ambiental.

Josué Aguiar e Janete Soares dos Santos, as duas pessoas à frente da Embrião, já perderam as contas de quanto material tem armazenado na garagem de casa. São milhares de livros, peças de xadrez gigantescas, material de divulgação e parte do material recolhido para a as ações de reciclagem que a instituição realiza. A preocupação inicial foi, segundo Janete, com a preservação ambiental. O destino correto de vários tipos de materiais é uma das preocupações da ONG, que tem sua sede na Rua Jaguari, 515.

Ao longo destes 13 anos, o reconhecimento veio em forma de prêmios. O “mais pesado deles”, como o casal afirma, é o prêmio de Responsabilidade Social, entregue em 2011 na Assembleia Legislativa do Estado. Não que os outros não te-nham valor ou significado para eles, mas é que este, juntamente com a Medalha João Saldanha entregue pela Secretaria Estadual do Esporte, são os que, hoje, recebem destaque na estante onde inúmeros prêmios se acumulam.

Através do esporte, a ONG ensina e cultiva a preservação em crianças e adolescentes de todas as idades. O trabalho que começou aqui hoje se estende a várias cidades do Estado, como Canguçu, Pelotas, Rio Grande e Candiota.

São ações que pare-cem muito simples, mas que fazem toda a dife-rença para o meio ambiente. O recolhimento de materiais recicláveis como papel e papelão vira peças gigantes de xadrez para as aulas lúdicas. As pilhas recolhidas pelos alunos e encami-nhadas para reciclagem pela instituição são trocadas por peças para que as crianças possam ter o jogo completo em casa. Também o óleo de cozinha é recolhido pela Embrião e encaminhado para reciclagem, evitando a contaminação dos lençóis freáticos.

Xadrez

O xadrez é um jogo milenar. Uma das versões históricas mais aceitas é que sua origem seja a Índia, com o nome “chaturanga”, sem data determinada; sabe-se apenas que o jogo iniciou antes de Cristo. O “jogo dos reis” é um esporte de raciocínio e estratégia, onde não existe sorte. Desenvolve as habilidades e inteligência de quem o pratica.

Em sala de aula, segundo Janete, que depois que começou com o trabalho na ONG viu a necessidade de voltar a estudar e se formou em psicopedagogia, o uso do xadrez desenvolve todas as habilidades do aluno, e se relaciona com diversas matérias. A inclusão do xadrez nos currículos escolares melhora significativamente o desenvolvimento de crianças e adolescentes.

“O xadrez é uma ferramenta, melhora inclusive o relacionamento entre as crianças”, afirma Janete. Ela completa: são oito as inteligências desenvolvidas através do jogo, entre elas história, geografia, português, matemática e educação ambiental. Com o xadrez, a ONG Embrião está presente em 22 das 24 escolas municipais de Alvorada. Hoje, os primeiros alunos da instituição já se tornaram oficineiros e transmitem o que aprenderam aos mais jovens.

As ações da ONG já levaram competidores gaúchos a vários torneios pelo Estado e pelo País. A ONG já foi recebida e reconhecida em eventos em Goiás e em Salvador, tendo a oportunidade de disseminar o conhe-cimento adquirido ao longo desses anos de trabalho.

De acordo com eles, observar esses vários Brasis colabora para a disseminação correta do conhecimento. Passar essa vivência para os alunos do projeto faz com que os jovens observem que as diferenças não existem. Todos fazemos parte de um todo. O planeta e as pessoas são um corpo só. “Tudo nos afeta”, declara Janete. Por isso a preocupação constante com a transmissão de informações referentes à preservação, reciclagem e manutenção dos mananciais e ambientes naturais. O xadrez é apenas uma parte e complementa esse sentimento de todo o trabalho que a Embrião deseja implantar nos habitantes mais jovens de Alvorada.

A preservação é um trabalho de todos. Mas uma preocupação que, infelizmente, ainda não atingiu toda a população. Por isso a preocupação de trabalhar com crianças. Se aprende mais brincando, e com o xadrez a ONG Embrião consegue essa transmissão de conhecimento interdisciplinar através
de atividades de entretenimento e de esporte.

Confira mais imagens do passeio:

Fonte: Amanda Fernandes / O Alvoradense