Chegam ao Estado nesta sexta-feira (06) e no sábado (07) um novo grupo de 180 médicos que irão ocupar as vagas da segunda etapa do Programa Mais Médicos em municípios gaúchos.

Dois desembarques, ambos de 80 profissionais estão previstos para esta sexta, no Aeroporto Internacional Salgado Filho. Um para as 10h e outro para as 20h45.

Os demais 20 médicos estarão na Capital amanhã (07), com chegada marcada para as 11h.. Os médicos serão recepcionados por profissionais do Departamento de Ações em Saúde (DAS), da Secretaria Estadual da Saúde (SES).

De acordo com a programação informada pelo DAS, os médicos terão uma semana de acolhimento e formação em Porto Alegre. Neste período, irão receber informações sobre a realidade da rede pública de saúde do Estado e as características epidemiológicas da população.

Entre 9 e 13 de dezembro, os profissionais assistirão a palestras sobre os diversos programas desenvolvidos nos municípios e coordenados pela Secretaria da Saúde, como o Primeira Infância Melhor (PIM), o TelessaúdeRS, a Rede de Atenção Psicossocial (Raps), além das políticas de atenção integral à saúde da mulher, do homem, da população LGBT, da pessoa com deficiência, entre outras.

As atividades de capacitação terão início já neste fim de semana, quando os profissionais serão divididos em grupos para visitarem a Comunidade Terreira Ilé Àse Yemojá Omi Olodo, no Bairro Partenon, onde receberão informações sobre a Política de Saúde da População Negra no Rio Grande do Sul.

Regiões

A Região Sul receberá 200 médicos do total de 2.117 cubanos. A maior parte do novo grupo, 1.152 médicos, atenderá à população do Nordeste. O Norte contará com o adicional de 406 profissionais, o Sudeste, 247, e o Centro-Oeste, 112 médicos. Do total de 2.117 profissionais, 47 vão atuar em 16 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI).

Segundo o anúncio feito no mês passado pelo prefeito Professor Serginho, durante a entrega de dois veículos para as equipes do Saúde da Família. Alvorada deve receber seis outros profissionais cubanos para atender a população.

A distribuição dos médicos nos municípios segue critérios técnicos, dando igual prioridade às cidades em que é maior a parcela de pessoas dependentes completamente do atendimento ofertado pelo SUS e àquelas com alto percentual da população em situação de pobreza.

Fonte: O Alvoradense