Dez anos depois da morte do aposentado José Euclides Pereira, que na época tinha 73 anos, a família recebeu em casa, no bairro Bela Vista, um comunicado da Secretaria Municipal da Saúde com o retorno de um pedido de consulta encaminhado 11 anos atrás.

Pereira, que sofria de uma doença degenerativa, morreu após aguardar por um ano a consulta.

A correspondência recebida agora, no entanto, informava apenas que ele havia sido aprovado em uma triagem, sem garantir consulta com médico especializado.

A esposa e o filho do aposentado ficaram revoltados com a situação e consideraram a situação um “deboche”.

Acompanhado pela reportagem da TV Record, o filho foi até a Secretaria da Saúde para obter uma explicação. No local, houve novo pedido por espera. Segundo a reportagem, após passar por três guichês, não houve justificativa para o procedimento.

Após a veiculação da matéria, a prefeitura publicou uma nota sobre o caso em seu perfil oficial no Facebook. No documento, assinado pela Coordenadoria de Comunicação Social (CCS), o órgão informou que as informações encaminhadas para a emissora foram publicadas de maneira equivocada.

O texto “foi editado e veiculado de forma equivocada e não contemplou a informação fidedigna dos fatos à opinião pública”, diz a nota.

Segundo a CCS, o caso em questão diz respeito à falha encontrada no sistema da Secretaria de Saúde no início deste ano, quando foram descobertos que 30 mil pessoas haviam sido retiradas da fila de espera por uma consulta médica durante o processo de informatização, ocorrido na gestão anterior.

Confira o comunicado na íntegra:

 

Fonte: O Alvoradense