Foto: Álvaro Pires / Divulgação / OA

Frente à repercussão da ação do Ministério Público em Alvorada na manhã desta sexta-feira (11), o vereador Gerson Luis publicou em suas redes sociais um vídeo em que esclarece sua participação nesta ação.

Gerson Luis, que é presidente do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) inicia afirmando que são infundadas as denúncias sobre o trabalho do seu gabinete na Câmara de Vereadores e sua família.

As denúncias são de caixa 2 no PTB e da prática de rachadinha, quando os funcionários de cargos em comissão encaminham parte do salário aos parlamentares.

O vereador confirma que o Ministério Público esteve em sua casa pela manhã, e que foram encontrados no local R$ 700 em espécie, apreendidos, diferente dos mais de R$ 100 mil divulgados pelas redes sociais. Sobre o episódio, elogiou a postura dos agentes no cumprimento dos mandados.

“Uma acusação infundada (…) Isso é represália de alguém, porque eu constiui uma CPI junto com o presidente da Câmara para investigar as falcatruas na Secretaria de Educação, de gente do meu partido que fez um balcão de negócios lá na Smed, que superfaturaram compras, em plena pandemia”, acusou.

Ressaltou, ainda, que só o seu gabinete sofreu intervenção na Câmara, “mais nenhum colega vereador, nem tampouco o presidente da Câmara”. Garantiu que vai seguir com a CPI, “vamos clarear muita coisa e não vã me calar”

Por fim lembrou que não é candidato nas próximas eleições, mas que vai seguir defendendo o “dinheiro do povo”. “Sigo à disposição do Ministério Público, Judiciário e Legislativo, para que tudo se esclareça”, concluiu.