Governador Tarso Genro durante cerimônia de assinatura de contratos e obras para Copa do Mundo | Foto: Caroline Bicocchi / Palácio Piratini / OA

Em busca de oferecer estabilidade ao sistema energético da Região Metropolitana de Porto Alegre para a Copa do Mundo de 2014, o Governo do Estado anunciou que investirá R$ 83,3 milhões na construção de três subestações e quatro linhas de transmissão no próximo ano. As obras atenderão a Capital, Viamão e Alvorada e fazem parte do programa RS Mais Energia.

Durante a cerimônia de assinatura dos contratos o governador Tarso Genro aproveitou para rebater críticas de que o Estado enfrenta uma crise financeira. “A assinatura de contratos feita de forma pública serve para mostrar a todos que o Estado não está impotente, paralisado ou quebrado, mas sim reagindo e investindo na reorganização de serviços, como saúde e infraestrutura, fruto de uma estratégia baseada numa rigidez fiscal forte, sem elevação de impostos”, afirmou Tarso.

Linhas de Transmissão

As quatro linhas de transmissão estão orçadas em R$ 36 milhões. Duas já tiveram contratos assinados e serão feitas pela empresa Procable Energia e Telecom, orçadas em R$ 14 milhões. “Com a entrega das obras, que ocorrerá seis meses antes da Copa do Mundo, a demanda estará garantida e a sociedade ficará com os investimentos” , observou o secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque.

O presidente do Grupo CEEE, Sergio Souza Dias, salientou que os recursos para os investimentos já estão definidos e 100% garantidos. “Teremos um investimento total de R$ 3,5 bilhões no Estado do Rio Grande do Sul, até dezembro de 2014, através de acordos feitos pelo Governo do Estado e União e financiamentos aprovados e firmados com o BNDES, BID e Agência Francesa”, explicou, acrescentando que as obras não são somente para a Copa do Mundo, mas atenderão toda a população. “A partir de 2014, nós teremos um Estado com uma condição de abastecimento energético diferenciada, permitindo atender todo e qualquer investimento que desejar vir para cá”, concluiu.

Fonte: O Alvoradense