Desde o dia 4 de maio, a caderneta de poupança tem nova fórmula de cálculo, agora baseada na taxa básica de juros do país, a Selic.

Quando os juros estiverem iguais ou inferiores a 8,5%, vão passar a ser remunerados da seguinte forma: taxa referencial (TR) mais 70% da Selic. Quando a taxa estiver acima deste número, permanece o cálculo atual, que é de TR mais 0,5% ao mês. Como a taxa Selic está atualmente em 9%, a remuneração permanece, não sofrendo alterações. Independentemente do valor, a nova regra é válida apenas para os depósitos feitos a partir do dia 4 de maio; os anteriores a essa data continuarão com a remuneração antiga.

Mesmo com a nova fórmula, que reduz o rendimento, a caderneta de poupança continua sendo um bom investimento, já que o imposto de renda ou taxas de administração não incidem sobre ela. São cerca de 100 milhões de contas e um saldo de quase R$ 431 bilhões.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, sustentou que para os novos depósitos, em muitos casos, a rentabilidade da velha caderneta continu-ará a ser imbatível. A poupança continuará
crescendo e sendo atra-ente para muitos brasileiros. Para o pequeno poupador, ela continua sendo o melhor investimento.

Arte: Jonathas Costa / OA

Fonte: O Alvoradense