Prefeito de Gravataí, Marco Alba (C) tem feito forte campanha entre os deputados estaduais para manter construção do hospital na cidade vizinha | Foto: Marcelo Bertani/Agência ALRS/OA
Prefeito de Gravataí, Marco Alba (C) tem feito forte campanha entre os deputados estaduais para manter construção do hospital na cidade vizinha | Foto: Marcelo Bertani/Agência ALRS/OA

O governo do Estado retirou nesta quinta-feira (12) o pedido de urgência do projeto que altera o local de construção do Hospital Regional, disputado entre Alvorada e Gravataí. O anúncio foi feito nesta noite pela prefeitura do município vizinho.

Enviado para a Assembleia Legislativa pelo governador Tarso Genro, o Projeto de Lei (PL) modifica em um dos artigos do Plano Plurianual do Estado. A partir de agora, o PL deverá passar pelas comissões da Casa antes de ir a plenário.

Há semanas o prefeito de Gravataí, Marco Alba, tem capitaneado uma forte mobilização entre os deputados a fim de derrubar a alteração do nome. Na prática, a substituição de “Gravataí” para “Vale do Gravataí” do texto viabiliza a troca do local de construção do hospital, que viria para Alvorada, às margens da RS 118.

A prefeitura de Alvorada prefere não comentar sobre o assunto. Nos bastidores, a escolha da cidade é dada como certa.

Conforme a Secretaria Estadual da Saúde, a mudança no texto do PL ocorre porque nunca ficou definido que a instituição seria construída em Gravataí, mas sim na região do Vale do Gravataí que, segundo a assessoria da Pasta, abrange Alvorada, Cachoeirinha e Viamão. A secretaria afirma que ainda está sendo estudado qual município deve receber o hospital.

Em fevereiro Stela Farias, então Secretária de Administração do Estado, confirmou que o hospital seria erguido em Alvorada. Uma semana depois o secretário de Saúde, Ciro Simoni, recuou e admitiu que a mudança de cidade era apenas uma “tendência”.

A partir de então as Câmaras das duas cidades começaram a realizar uma séria de mobilizações. Em Alvorada, audiências públicas e reuniões tentaram ampliar a rede de colaboradores. Em março a prefeitura chegou a divulgar o apoio de parte dos vereadores de Viamão e Chachoeirinha.

Se o Legislativo das cidades vizinha apóia a mudança, o mesmo não ocorre com o Executivo. As prefeituras de Glorinha, Santo Antônio da Patrulha e Taquara, além de Viamão e Cachoeirinha, declararam que querem o hospital em Gravataí, isolando Alvorada no outro lado da disputa, que, por sua vez, diz ter o apoio da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal).

Interlocutores do Governo do Estado garantem que a tentativa de Marco Alba é realizar um “debate político que não existe”. O mesmo ocorre nos corredores da prefeitura de Alvorada, que enxerga nas manobras de Alba a busca por transformar a saída Hospital Regional de Gravataí para Tarso Genro, tal qual fora a desistência da Ford em Guaíba para Olívio Dutra.

O projeto do Hospital Regional do Vale do Gravataí tem um custo estimado de R$ 140 milhões (80% de recursos federais, 15% de recursos estaduais e 5% de verbas municipais, além da área), sendo metade para a construção e outra parte para equipamentos.

Fonte: O Alvoradense