Grêmio entrou em campo com faixa para homenagear as vítimas e familiares da tragédia em Santa Maria | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / OA

Não faltaram emoção e sofrimento na classificação gremista para fase de grupos da Copa Libertadores de 2013, obtida na noite desta quarta-feira, na primeira decisão da Era Arena.

Depois de massacrar a LDU durante os 90 minutos, o Tricolor conseguiu apenas repetir o resultado do jogo de ida, na semana passada, em Quito, vencendo por 1 a 0, gol marcado por Elano, no segundo tempo. O placar levou a disputa da vaga para as cobranças de penalidades máximas, sempre tão dramáticas para o torcedor.

No final, a festa foi Tricolor na vitória por 5 a 4, com Marcelo Grohe consagrando-se como o primeiro herói do novo estádio ao defender o chute decisivo.

Barreira defensiva dos equatorianos

Apoiado por mais de 41 mil torcedores e embalado pelo clima positivo da Arena, o Tricolor começou a partida pressionando a LDU contra seu próprio campo com o intuito de descontar a vantagem equatoriana o mais rápido possível. A primeira chance gremista foi aos 5 minutos em bola parada: Fernando cobrou falta da intermediária sofrida por Vargas. A bola viajou e passou rente ao travessão, no ângulo esquerdo, levando perigo.

Aos 9 minutos, Zé Roberto recebeu na intermediária, pela direita, e fez o cruzamento buscando Marcelo Moreno, entrando atrás da zaga, pela esquerda. O boliviano se atirou na bola e desviou já na entrada da pequena área. A conclusão saiu desviada, passando à esquerda de Dominguez. Dois minutos depois, Vargas fez jogada individual pela esquerda e foi derrubado no bico da grande área. Elano fez a cobrança direta buscando o ângulo direito, mas Dominguez voou para fazer a defesa em dois tempos.

Apesar de ter mais de 70% da posse de bola, o Tricolor encontrava dificuldades para romper a barreira defensiva do adversário.

Aos 24 minutos, após bola afastada pela defesa gremista, Marcelo Moreno dividiu no alto com a defesa e a bola sobrou para Eduardo Vargas, na intermediária. O chileno avançou e ariscou de fora da área. O chute tirou tinta do poste direito de Dominguez, que se atirou, mas não chegou. Grande lance! Aliás, foi o último de perigo do Grêmio na primeira etapa. A partir daí, a LDU tratou de se defender e ganhar tempo sempre que possível, com a conivência da arbitragem. O time equatoriano não levou perigo nenhuma vez à meta de Marcelo Grohe.

Comemoração e tumulto no empate

Elano empatou para o Grêmio no segundo tempo e garantiu decisão nos pênaltis | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / OA
Elano empatou para o Grêmio no segundo tempo e garantiu decisão nos pênaltis | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / OA

O Grêmio retornou para etapa final com duas modificações e uma postura muito mais ofensiva: Luxemburgo colocou André Lima e Willian José nas vagas de Fernando e Marcelo Moreno. Apesar de tamanha força ofensiva, o resultado ainda demorou 15 minutos para aparecer.

O primeiro gol tricolor começou a nascer com falta sobre Elano, na entrada da área, pela direita. Ele mesmo fez a cobrança, colocado, buscando o canto esquerdo de Dominguez. O goleiro se esticou e fez uma grande defesa, mandando para escanteio. Na cobrança, da direita, Willian José desviou de cabeça no primeiro pau e a bola sobrou no outro lado, onde estava o zagueiro Bressan. Ele pegou muito embaixo da bola e mandou por cima do travessão!

O gol gremista era questão de tempo. E de pouco tempo.

Aos 16 minutos, Willian José começou a jogada no meio campo. Com garra, ele ganhou do marcador e fez o passe lateral para Elano. O camisa 7 do Tricolor avançou sem marcação e resolveu arriscar da intermediária. Um chute de rara felicidade, que encobriu o goleiro Dominguez caindo exatamente no ângulo direito. Um golaço que fez explodir a Arena!

Na comemoração a tradicional avalanche acabou gerando tumulto. O alambrado do estádio gremista não suportou o peso da torcida e acabou sedendo. Vários torcedores caíram no fosso e precisaram de atendimento de emergência. Pelo menos três foram encaminhados para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre. Todos sem risco de morte. A partida chegou a ficar interrompida por sete minutos.

Retomada a partida, o Grêmio tinha mais meia hora para fazer o segundo gol e buscar a classificação sem precisar das penalidades. A LDU modificou a equipe tirando um marcador, colocando um jogador com característica mais ofensiva. Aos 28 minutos, outra vez Elano pela intermediária, lado direito. Com categoria, ele levantou no meio da área, buscando André Lima. O Guerreiro Imortal torneou de cabeça e mandou por sobre o travessão! Que perigo!

Aos 37 minutos, Luxemburgo promoveu a última modificação na equipe. Jean Deretti entrou no lugar de Elano. O autor do gol gremista saiu cansado sob a ovação do torcedor. Os minutos finais foram de total pressão gremista. Aos 40 minutos, Vargas armou contra ataque em velocidade e lançou Deretti pela direita. O jovem colocou na frente e foi empurrado pelas costas dentro da área. O árbitro mandou seguir.

No lance seguinte, o mesmo Deretti recebeu na direita e foi atingido pelo zagueiro Hurtado, que recebeu cartão vermelho direto deixando a equipe equatoriana com dez jogadores. Não foi suficiente para o Tricolor chegar ao tão sonhado segundo gol. No apito final, a angústia da decisão nas penalidades.

Decisão nos pênaltis consagra Grohe

O sonho de disputar a Copa Libertadores na Arena em 2013 não poderia terminar na sua fase preliminar. Dentro de campo, prevaleceu os 110 anos de tradição do Tricolor e a classificação para o Grupo 8 da Libertadores veio numa vitória por 5 a 4, onde brilharam a concentração dos cobradores e a estrela de Marcelo Grohe, que defendeu a última cobrança equatoriana.

O Grêmio marcou com André Lima, Willian José, Pará, Vargas e Alex Telles. Saimon cobrou para defesa do goleiro Dominguez. Pela LDU, marcaram Saritama, Vitti, Vélez e Canuto. Reasco mandou na trave e Marcelo Grohe defendeu a cobrança de Morante, garantindo a classificação gremista.

O Tricolor estreia na fase de grupos no próximo dia 14 de Fevereiro, na Arena, contra o Huachipato, do Chile.

Grande atuação de Grohe garantiu a classificação gremista e consagrou goleiro como herói do novo estádio | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / OA
Grande atuação de Grohe garantiu a classificação gremista e consagrou goleiro como herói do novo estádio | Foto: Lucas Uebel / Grêmio / OA

Libertadores 2013

Grêmio 1 (5)
Grohe; Pará, Bressan, Saimon e Alex Telles; Souza, Fernando (Willian José), Elano (Jean Deretti) e Zé Roberto; Vargas e Moreno (André Lima). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

LDU 0 (4)
Dominguez; Hurtado, Canuto, Morante; Madrid, Henrique Vera, Hidalgo, Feraud (Vitti), Reasco; Saritama e Garcés (Vélez).Técnico: E. Bauza.

Gol: Elano (16min/2ºT).
Cartões amarelos: Vera (LDU); Elano e Souza (G).
Cartão vermelho: Hurtado (LDU).
Árbitro: Saul Laverni (Argentina).
Local: Arena do Grêmio.

Fonte: O Alvoradense