A greve dos funcionários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que já dura cerca de dois meses, impediu a coleta regular de dados nas regiões metropolitanas de Salvador e Porto Alegre e impediu o instituto de divulgar a taxa média de desemprego em junho, pelo segundo mês consecutivo. Com a paralisação, foram disponibilizados apenas os dados das regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Recife, de São Paulo e Belo Horizonte.

Excepcionalmente, segundo o IBGE, a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) de junho foi prejudicada pelo atraso nas etapas de coleta, apuração, crítica, análise e avaliação da qualidade dos dados coletados em sua totalidade. “Posteriormente, em data ainda não definida, está prevista a divulgação dos dados completos do mês de junho incluindo as regiões metropolitanas de Salvador e Porto Alegre”, esclarece o Instituto.

Pelos dados da PME coletados regionalmente, em junho, a taxa de desocupação (proporção de pessoas desocupadas em relação à população economicamente ativa) ficou estável em relação ao mês anterior em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em São Paulo, e apresentou queda de 1 ponto percentual no Recife. Em relação a junho de 2013, a taxa caiu 1,5 ponto percentual em São Paulo e 2,1 ponto percentual no Rio de Janeiro, mantendo-se estável em Recife e Belo Horizonte.

Realizada nas principais regiões metropolitanas do país, a Pesquisa Mensal de Emprego produz indicadores mensais sobre a força de trabalho que permitem, segundo o IBGE, “avaliar as flutuações e a tendência, a médio e a longo prazos, do mercado de trabalho, nas suas áreas de abrangência, constituindo um indicativo ágil dos efeitos da conjuntura econômica sobre esse mercado, além de atender a outras necessidades importantes para o planejamento socioeconômico do País”.

Fonte: Agência Brasil