Foto: Olhar abstrato / Arte: Pomo Estúdio Criativo / OA

As primeiras gravações de “Dormitório – acordar pra que?”, um drama que fala do cotidiano obscuro de uma cidade chamada dormitório, acontecem neste final de semana na Escola Herbert de Souza, Jardim Algarve.

Ao contrário dos outros quatro filmes produzidos pela Alvoroço Filmes, “Dormitório” não é uma comédia. “Minha veia é cômica, não adianta. Prova disso que os filmes “Eu odeio o big bróder” e “O maníaco do Facebook” não foram escritos para serem comédias mas, por fim, viraram”, contou o cineasta alvoradense Evandro Berlesi.

Pela falta de patrocinadores, as filmagens devem se estender até março de 2017, com lançamento previsto no mesmo ano. “Fazer cinema sem dinheiro é só para realização própria. Exceto se os filmes fossem para festivais, poderíamos ter alguma chance no mercado, porém comédias dificilmente são selecionadas. Portanto a ideia de investir num drama é exatamente por isso, tentar os festivais”, confirmou Berlesi.

O elenco, com participações de muitos alvoradenses, já está definido, contando com Marcelo Maresia, Nunes Miguelangelo, Douglas “Chuck”, Tamy Paim, Jessica Amaral, Anderson Dravasie, Tamara Corrêa e destaque para o porto alegrense Sirmar Antunes (Balbino da novela “Como uma onda” e Sargento Caldeira do filme “Netto perde sua alma”).

A equipe de produção segue totalmente alvoradense, com o produtor Leandro Sagguy; Felipe Chagas no áudio e trilha sonora; produtor executivo Werner Pfluck; J. A. Phoenix no making of e Luis Ferreira Rocha, foto still.

Fonte: O Alvoradense