Foto: Arquivo /OA

O julgamento de 12 presos na Operação Espreita, desencadeada em agosto do ano passado pela Polícia Civil, acontece nesta segunda-feira (25) sob forte esquema de segurança no Fórum de Alvorada.

As ruas Contabilista Vitor Brum e Nilzo Ramires estão bloqueadas pela Brigada Militar.

O pedido de reforço na segurança foi emitido pela juíza responsável pelo caso. Além dos 12 réus, a quadrilha é composta por outros 14 traficantes, que ainda estão soltos. O expediente interno da Comarca foi suspenso.

Outra audiência para tratar do mesmo caso está marcada para terça-feira (26), quando também haverão bloqueios de ruas na região.

Operação Espreita
A Polícia Civil prendeu no dia 20 de agosto 24 pessoas suspeitas de pertenceram a uma quadrilha de tráfico de drogas. O líder do bando seria um detento do Presídio Central, cuja mulher, presa na operação, coordenava a ação do grupo.

Segundo a delegada Graziela Foresti, da 3ª Delegacia de Polícia de Alvorada, o detento é considerado o traficante mais rico de Alvorada, com patrimônio estimado em R$ 1 milhão. “Mesmo preso ele continuava comandando o tráfico na cidade e movimentando montantes que ficavam entre R$ 40 e 60 mil por mês”, afirmou a delegada na época.

Mulher do presidiário que liderava tráfico em Alvorada foi presa na Operação Espreita | Foto: Samuel Silveira / OA
Mulher do presidiário que liderava tráfico em Alvorada foi presa na Operação Espreita | Foto: Samuel Silveira / OA

Fonte: O Alvoradense