Moradores e autoridades unidos em busca de uma solução definitiva formam comissão / Foto: Mariú Delanhese / OA

Um grupo de moradores e comerciantes do Centro, principalmente os das ruas União e Nilzo Ramires, estiveram na Prefeitura na manhã desta quinta-feira (31) em busca de uma solução definitiva para o problema que enfrentam há cerca de um ano.

A cada final de semana aumenta o número de frequentadores do Posto Horn, na altura da parada 48, que se tornou um ponto de encontro de carros com som alto, muita bebida alcoólica e, segundo relatos, drogas ilícitas.

[wp-svg-icons icon=”file-4″ wrap=”b” color=”#dd9933″] Aglomeração de jovens em posto de gasolina: Lazer x Tranquilidade

No último sábado, por exemplo, a comunidade afirma que eram mais de 100 veículos nas imediações e cerca de duas mil pessoas. “É impossível sair de casa ou receber visitas. A rua fica tomada de gente e carros”, afirma uma das moradoras. “De uns tempos pra cá, começaram a nos ameaçar”, completa outra moradora. A situação é tão grave que as pessoas não querem se identificar, por medo de retaliações.

Audiência Pública
No encontro desta quarta-feira (30), quem iniciou as falas foi Giovana Thiago, assessora da deputada estadual Stela Farias (PT), que anunciou que a parlamentar alvoradense está solicitando, junto à Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, a realização de uma Audiência Pública sobre a segurança em Alvorada. “A intenção é reunir todos os envolvidos e encaminhar uma solução definitiva para o problema que está tomando grandes proporções”, esclareceu.

O grupo foi recebido, ainda, pelos secretários Tiano Caduri, do Desenvolvimento Econômico, Luis Carlos Silveira, da Segurança e Mobilidade Urbana, e Leandro Marçal, do Gabinete do Prefeito. Eles estavam acompanhados do chefe da Guarda Municipal, comandante Rafael, e do chefe da Fiscalização, Wagner Brilhante.

Cobrado pela comunidade, Caduri disse que, ao assumir, recebeu do prefeito Professor Serginho a incumbência de solucionar a questão da 48. “Temos desenvolvido muitas ações, inclusive com o apoio da secretaria municipal de Segurança”, garantiu.

Além de intensificar a fiscalização na região, também aconteceram mudanças no trânsito e uma maior sinalização das vias buscando evitar o agrupamento naquelas vias. “Contudo, sem o apoio efetivo da Brigada Militar é temerário colocar nossos fiscais e agentes em contato com aquelas pessoas na madrugada”, avalia Tiano, no que foi seguido pela fala do secretário Silveira, que já foi policial militar.

“Tivemos que encerrar uma atividade da Balada Segura antes do previsto, porque havia apenas uma viatura com dois PMs para nos dar segurança contra centenas de pessoas e veículos”, contou Silveira.

Comissão
Desta forma, a Audiência Pública foi vista por todos como um bom caminho, no momento que deve convocar autoridades municipais e estaduais, inclusive o Ministério Público, que ainda em 2015 arquivou uma denúncia dos moradores e Prefeitura contra a loja de conveniência do posto de combustíveis.

Do encontro formou-se uma comissão com três moradores e membros de secretarias que vai organizar a audiência pública nos próximos 15 dias.

Fonte: O Alvoradense