Foto: Divulgação / OA

Os 21 novos leitos que foram noticiados para o Hospital de Alvorada, resultado de convênio entre a entidade e a Prefeitura, ainda não estão disponíveis à população. O anúncio foi feito em 30 de junho, mas somente na tarde desta sexta-feira (17), foi assinado pelo prefeito Appolo e o assessor administrativo do Hospital de Alvorada, Otair Rodrigues Pires.

Além deste assunto, durante live da Prefeitura em redes sociais manhã de hoje, a secretária Municipal de Saúde, Neusa Abruzzi, acompanhada da diretora técnica da Regulação Municipal, enfermeira Jociane Saldanha Hoff falou sobre os leitos para pacientes da Covid-19 no município e da utilização de UTIs em Porto Alegre.

Comentou que há um fiscal da Administração Municipal no Hospital concluindo o Termo de Vistoria, para então dar início à ocupação dos leitos. Quantos aos recursos do convênio, serão repassados mediante Relatório de Fiscalização e cumprimento do contrato.

Os 21 novos leitos, chamados de Unidades Temporárias, vem se somar aos seis que hoje atendem os pacientes da Covid-19 e servirão, também, para os pacientes que necessitarem de acompanhamento médico após alta da UTI.

As Unidades Temporárias são previstas em portaria do Governo Federal que dá autonomia aos municípios estruturarem ou redimensionarem leitos nas unidades de saúde já existentes, em tempo de pandemia.

UTI em Porto Alegre

Por Alvorada estar classificada como Atenção Básica no atendimento em saúde, não há UTIs ou atendimentos de maior complexidade no município. Assim como em diversas regiões do Brasil, estes atendimentos ficam centralizados nas grandes cidades, no nosso caso em Porto Alegre, que inclusive recebe recursos federais para este atendimento.

Portanto, os leitos de UTI que estão sendo ocupados por alvoradenses no Hospital Conceição, por exemplo, não são exceção em tempos de pandemia. “Como sempre fizemos, vamos seguir cadastrando nossos pacientes no sistema de Regulação do Estado”, confirmou a enfermeira Jociane.

Testes

Quanto à compra de mais testes para o coronavírus, a secretária Neusa garantiu que já foram cotados, mas ainda não entregues.

Ela salienta, ainda, que o teste não é realizado em todos os pacientes suspeitos, e que está sendo seguido o protocolo do Ministérios da Saúde que indica isolamento domiciliar de 14 dias a quem apresente síndrome respiratória. E que nestes casos, mesmo em casa, é necessário tomar cuidados com a família, ficando sozinho em um ambiente, separando utensílios, toalhas e, até mesmo, o lixo do isolado.