Em dois anos, o número de jovens alvoradenses com 16 e 17 anos que demonstraram interesse em votar nas eleições reduziu 48,7%. A queda significativa contraria a expectativa de uma maior adesão dos adolescentes ao processo eleitoral um ano após as Manifestações de Junho, ocorridas em todo o país em 2013, ao mesmo tempo em que confirma o desinteresse dos mais jovens pelo meio político.

No Rio Grande do Sul a queda no número de eleitores nesta faixa etária foi de 1,4%. No caso de Alvorada, 250 adolescentes de 16 anos e 799 de 17 fizeram o título dentro do prazo e, mesmo não sendo obrigados, poderão participar das eleições em 5 de outubro. A faixa etária com maior número de eleitores na cidade é de 45 e 59 anos. Eles somam mais de 34,8 mil votos.

Os dados foram divulgados na semana passada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ao todo, 141.955 alvoradenses devem comparecer às urnas para escolher presidente, senador e deputados federal e estadual. O crescimento do colégio eleitoral alvoradense foi de 2,4% na comparação como ano anterior.
O grau de instrução dos eleitores da cidade continua sendo majoritariamente de ensino fundamental incompleto, com 42,2%, o que representa quase 60 mil alvoradenses.

O número de pessoas com ensino superior completo ou incompleto é mais de três vezes menor do que os analfabetos ou aqueles que apenas leem e escrevem, os chamados analfabetos funcionais. São 3.872 universitários frente a 14.124 analfabetos. Ainda assim, desde 2008 a escada do grau de instrução caminha para uma inversão, com sucessivas quedas nos índices de baixa escolaridade, ainda que tímidas, somadas às pequenas altas nos números de melhor nível educacional.

Assim como no país e no Estado, em Alvorada as mulheres são maioria nas urnas. Elas somam 53% e eles 47%. O estado civil de 68% do eleitorado da cidade é solteiro.

Fonte: Jonathas Costa / O Alvoradense