Foram três dias consecutivos em que as sinaleiras da avenida Getúlio Vargas no cruzamento com a rua Flôr da Serra ficaram desligadas. No total, mais de 50 horas de interrupção. O cruzamento, que fica próximo à parada 45,  apresentava falhas desde a quarta-feira. O sinal voltou a operar ainda na tarde de quarta, mas na manhã de sábado voltou a ficar desligado. Apenas por volta de meio-dia desta segunda o semáforo voltou a funcionar normalmente.

Em horários de maior movimento o transtorno foi ainda maior. Jéssica Bitencurt, de 19 anos, esperou em torno de oito minutos para conseguir atravessar a via com a filha de dois anos no colo. “É difícil. A gente não pode se arriscar e ainda os motoristas não respeitam”, reclamou. Alan Geferson,  de 34 anos e que possui uma floricultura bem em frente ao cruzamento, destaca a dificuldade que os motoristas que vem das travessas encontram para cruzar a avenida. “É preciso forçar a passagem, o que é perigoso, para atravessar”, destaca.

Valmir Silveira, de 57 anos, também se queixou do perigo, em especial, para os idosos que por andar mais lentamente tendem a correr mais riscos ao tentar atravessar a via. Nenhum acidente chegou a ser registrado no local, mas o risco foi grande. Eduardo Ladwig, de 23 anos, comentou que no domingo quase ocorreu um engavetamento em frente a loja em que ele trabalha. “Pelo menos três carros poderiam ter batido aqui na frente” explicou.

Falta de sinalização deixa motoristas confusos | Foto: Amanda Fernandes / OA

Fonte: O Alvoradense