PM afirma que vai intensificar o policiamento para identificar os autores das pichações | Foto: Samuel Silveira / OA

Pichações de cunho racista e símbolos neonazistas apareceram nas paredes do Shopping Porto Verde, na Avenida Zero Hora, número 1234, durante a semana passada.

As inscrições surgiram na madrugada da última quinta-feira e assustaram alguns moradores.Para o senhor Ênio Nascimento, que mora na região há mais de 15 anos, no entanto, as pichações o deixaram mais magoado do que assustado. Ele acredita que as inscrições deixadas nas paredes sejam obras de adolescentes e teme que isso possa incentivar ações mais graves. Para ele, se a ação realmente se tratar de um ato isolado de crianças ou adolescentes, ela deixará apenas a mágoa manchando a tranquilidade do bairro, mas, se o fato se repetir, será preciso tomar atitudes junto com as autoridades.

De acordo o tenente-coronel Julio Cezar Rocha, responsável pelo 24º Batalhão da Policia Militar de Alvorada, nunca houve incidência de grupos neonazistas na cidade.Ele afirma que a PM de Alvorada desconhecia a existência das pichações, mas afirmou que vai aumentar a atenção ao policiamento da região visando a identificar os pichadores.

A inscrição com a frase “fora pretos” e os símbolos nazistas que apareceram nas paredes do shopping foram percebidas pelos moradores ao amanhecer, mas, segundo o tenente-coronel Rocha, nenhuma denúncia foi feita à Polícia Militar.

Ataques no RS

No começo deste ano, três atentados de grupos neonazistas assustaram moradores de Porto Alegre e Caxias do Sul, onde um jovem de 17 anos chegou a ser esfaqueado.

A incidência destes grupos não é novidade no Estado. Desde 2002 foram apreendidos inúmeros materiais, e cerca de 35 pessoas foram indiciadas. Um dos casos mais violentos aconteceu em 2005, quando jovens judeus foram esfaqueados em um bar em Porto Alegre.

 

Fonte: O Alvoradense