Reunião articulou decreto de calamidade pública nesta quarta-feira | Foto: Jonathas Costa / OA
Reunião articulou decreto de calamidade pública nesta quarta-feira | Foto: Jonathas Costa / OA

Em reunião com secretários e vereadores na tarde desta quarta-feira (22) no Salão Nobre da prefeitura, o prefeito Professor Serginho decidiu decretar estado de calamidade pública em Alvorada em virtude da crise de abastecimento que atinge à cidade desde segunda-feira.

Na terça a prefeitura já havia decretado situação de emergência em virtude das cheias na zona Norte da cidade.

Com a casa de bombas da Corsan alagada, todos os bairros foram atingidos pelo corte no abastecimento. Creches particulares, comércios e alguns postos de saúde fecharam as portas em virtude da falta de água. 

Confira os locais que vão receber caminhões pipa em Alvorada

Nesta quarta a Defesa Civil Municipal tentava articular junto à Brasília a ajuda do Exército para, com o auxílio de um caminhão alto, chegar até a casa de bombas e retirar a água do local.

Serginho esteve reunido pela manhã com o presidente da Corsan que, apesar de garantir que a companhia está mobilizada para resolver a situação, não soube dar um prazo para a volta do fornecimento de água. 

• ASSINE: Receba a edição impressa do jornal O Alvoradense em casa

Depois da reunião de secretários ocorrida nesta tarde, Serginho foi vistoriar o trabalho da Corsan na casa de bombas. A prefeitura já estuda entrar com uma ação na Justiça para condenar a estatal pelas falhas no abastecimento.

Uma nova reunião nesta quinta-feira com o governador José Ivo Satori deve oficializar o decreto de calamidade.

Fonte: O Alvoradense