O que despertou na candidata o desejo em ser eleita conselheira tutelar? 

Percebo que precisamos de lei para regular comportamentos em uma sociedade. O Conselho Tutelar é o órgão regulador destas políticas.

Qual o verdadeiro papel do conselheiro tutelar?

As atribuições do Conselho Tutelar estão bem claras no Estatuto da Criança e do Adolescente, no art. 136, e serão aplicadas sempre que estes direitos forem violados ou ameaçados. O conselheiro orienta, encaminha, também requisita a órgãos públicos acesso a saúde, educação, assistência social etc.

De que forma a candidata vê a questão da garantia de direitos
permitindo que a família eduque?

A garantia de direitos em relação à família é fundamental. Esta família tão discutida nos meios sociais precisa ser fortalecida, os pais estão perdidos na educação de seus filhos. Eles precisam passar valores morais que ainda carregam de sua formação para seus filhos, isto não pode se perder. A escola, assim, fará o seu papel de ensinar e com certeza afinar os valores morais de seus alunos no ambiente escolar, para formar um suporte para estas famílias que estão se sentindo perdidas. A família tem o dever de educar e proteger seus filhos, junto com a sociedade e o Estado.

De que forma a candidata vê a lei da palmada?

A lei da palmada é uma forma preventiva de regular o comportamento de pais ou responsáveis no ato da agressão física com crianças e adolescentes. O ideal seria não precisar de lei, mas devido a abusos sempre se pode dizer que violência gera violência. A criança reproduz nas suas relações sociais tudo de bom ou ruim que lhe é transmitido pelos adultos. Quem foi que disse que fazer sentir dor ensina?

Para você o que é a Proteção Integral?

É fazer valer todos os direitos desde os fundamentais, direito à vida e à saúde, direito à liberdade, ao respeito e à dignidade, direito à convivência familiar e comunitária, direito à educação, à cultura, ao esporte e ao lazer. Que, reunidos nesta lei, asseguram à criança e ao adolescente a garantia de prioridade na efetivação de seus direitos, no seu desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, com liberdade e dignidade.

Fonte: O Alvoradense