Trabalhadores dos Correios pedem mais benefícios | Foto: Agência Brasil / Divulgação / Arquivo OA

Os trabalhadores dos Correios estão em greve. A decisão veio após assembleia da categoria na noite desta terça-feira (15). A paralisação será por tempo indeterminado. Para tentar garantir as entregas mesmo com a greve, a empresa colocará em ação medidas do plano de continuidade.

Os funcionários buscam a realização de concurso público para mais contratados, além do reajuste no vale refeição e no vale cesta. Há também a reivindicação de maior adicional do trabalho nos finais de semana, de 15 para 25%. Nesta mesma linha, os trabalhadores questionam o cálculo para o pagamento das horas-extras e o adicional noturno sobre o salário bruto. Além disso, eles buscam reposição da inflação mais aumento real de 10%.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos afirma que já foi concedido um reajuste em 2014, que deixou o salário base dos carteiros quase 20% maior. Também segundo a empresa, entre 2011 e 2014 o reajuste médio foi 9,3% superior à inflação. Considerando todos os benefícios, carteiros em início de carreira recebem mais de R$ 2 mil, enquanto funcionários de nível superior ficam em torno de R$ 5 mil.

No Rio Grande do Sul, a paralisação atingirá somente a base de Porto Alegre. Em Santa Maria os trabalhadores não farão greve, e assim a região central, noroeste e fronteira-oeste do Estado seguirão com o serviço normalmente. Pelo Brasil, funcionários de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Tocantins também aderiram à paralisação.

Fonte: O Alvoradense