Manifestação dos rodoviários exige mais segurança para os trabalhadores de Alvorada | Jonathas Costa
Manifestação dos rodoviários exige mais segurança para os trabalhadores de Alvorada | Jonathas Costa

O protesto dos rodoviários na manhã desta terça-feira (14) parou Alvorada. A principal avenida da cidade, a Presidente Getúlio Vargas, foi bloqueada por cerca de 50 manifestantes, que fizeram uma caminhada exigindo mais segurança por cerca de uma hora. Na sexta-feira o cobrador da Soul Renan Cazulke foi morto após um assalto durante a madrugada.

Claudio Correa acredita que o transtorno é um mal necessário para a conscientização | Foto Jonathas Costa
Claudio Correa acredita que o transtorno é um mal necessário para a conscientização | Foto Jonathas Costa

O diretor da Força Sindical, Claudio Correa, um dos organizadores do ato desta manhã, afirma que não é aceitável trabalhar em meio a tanta violência. Segundo ele, a manifestação é uma pressão aos governantes que podem mudar esta realidade.

“Antes matavam traficante, bandido. Agora estão matando trabalhador”, disse o diretor de Relações Sindicais em entrevista a’O Alvoradense.

O bloqueio dos rodoviários dividiu a população da cidade. Nos carros que conseguiam passar pelos manifestantes, havia apoiadores da causa e outros irritados pela lentidão do trânsito, se opondo ao protesto. Claudio Correa justifica que “se não tiver transtorno, não se consegue conscientizar a população”.

Confira o áudio da entrevista com Claudio Correa, diretor da Força Sindical, que liderou a manifestação desta terça-feira:

Fonte: O Alvoradense