Estrutura foi montada no interior do ginásio / Foto: Dirceu Casaroli / Especial / OA

O último encontro entre os candidatos à Prefeitura de Alvorada, organizado pelo jornal O Alvoradense, aconteceu na noite de quinta-feira (29), no ginásio da Escola e Faculdade São Marcos.

Por três horas os cinco homens – Appolo (PMDB), Carlos Drebes (PEN), Douglas Martello (Dem), Marconi Olguins (PSDB) e Rodinei Rosseto (PSol)– e quatro mulheres – Giovana Thiago (PT), Jussara Mendes (PSD), Meri Brum (PR) e Nadir Machado (PTB) – que concorrem a prefeito apresentaram suas propostas e responderam questionamentos que partiram da redação do jornal O Alvoradense, dos alunos e professores da São Marcos e realizaram perguntas entre si.

O Debate O Alvoradense Eleições 2016 deu início à reta final desta campanha diferente, que teve apenas 45 dias e diversas restrições no que se refere à propaganda eleitoral. Foram cinco blocos, sendo que no primeiro e último os candidatos puderam falar livremente, no primeiro se apresentando e por fim, em última tentativa de conquistar o voto do eleitor na noite de transmissão ao vivo.

As nove perguntas feitas pelo mediador, jornalista Jonathas Costa, foram baseadas em matérias publicadas pelo jornal O Alvoradense nos últimos meses. A primeira foi na área da Saúde, citando matéria publicada em 15 de julho sobre a UPA e a pergunta: de que maneira o candidato pretende resolver esta situação? Carlos Drebes foi sorteado a responder, escolhendo Rosseto para comentar.

Drebes afirmou que através do projeto “Prefeitura Parceira” irá em busca de soluções não só para a UPA como também para as UBSs e o Hospital de Alvorada. No seu entender, as parcerias podem solucionar diversas questões na cidade.

Rosseto ressaltou a intenção de reduzir custos com o corte nos salários do prefeito e vice e no número de CCs para promover economia nos cofres públicos, o que possibilitará várias ações, inclusive a abertura da UPA.

No tema Educação, foi apresentada a matéria Iniciam obras de duas EMEIs, com a pergunta: É grande a defasagem quanto ao número de vagas e o número de crianças até seis anos fora da rede municipal de ensino. É possível estabelecer uma meta para os próximos quatro anos? Meri Brum respondeu e Jussara Mendes comentou.

“Tirar a cidade dos políticos e entregar para a comunidade e abrir a caixa preta e organizar a bagunça”, esse é o principal objetivo de Meri, que considerou que a verba para a educação não deixou de vir para Alvorada, sendo mal utilizada, em sua concepção. Lembrou que há quatro anos as escolas municipais ofereciam merenda, kits escolares e uniforme. “Conto com um grupo qualificado de ação para reconstruir a cidade”, disse a candidata do PR.

Já Jussara afirmou que a cidade nunca deu atenção à educação infantil e que a solução é necessária e se dará em seu governo através de ações efetivas nas escolas.

Infraestrutura foi o terceiro tema, ressaltando o acidente ocorrido há duas semanas, provocado por um buraco na pista. Entre os maiores problemas estruturais estão as condições de conservação das vias da cidade, o que ocorre desde os bairros até a área central, provocando desgaste em veículos, levando muitas vezes a acidentes como o relatado na matéria. De que maneira é possível resolver a situação em curto prazo?, esta foi a pergunta respondida por Marconi Olguins e comentada por Douglas Martello.

Marconi salientou a importância na busca de recursos, enquanto Douglas lembrou a Usina de Asfalto e a Fábrica de PAVS que não são utilizadas pelo atual governo como forma de solução a curso prazo.

A notícia de que a Prefeitura tenha perdido recursos federais por não ter cumprido prazos motivou a pergunta aos candidatos Nadir Machado e Appolo. “Todos os candidatos indicam problemas de Gestão, mas como efetivamente evitar que situações assim se repitam?”, questionou o mediador Jonathas Costa.

Nadir reafirmou que a falta de gestão é que leva à devolução de verbas. Já Appolo disse estranhar que alguém que tenha participado da atual administração não tenha tomado qualquer atitude para acabar com o problema. Nadir confirmou a falta de gestão.

20 de Julho de 2015: o dia em que Alvorada parou, lembrou aos presentes a maior Cheia já enfrentada na cidade. Douglas Martello respondeu de que maneira o candidato pretende trabalhar para evitar grandes catástrofes? e Giovana Thiago comentou.

Douglas afirmou que este grande problema estrutural deve ser encarado de frente, acompanhando a elaboração dos projetos junto à Metroplan, mas com soluções a longo prazo. De imediato, deve haver o desassoreamento permanente dos arroios, conscientização da população para não jogar resíduos nas águas e a limpeza das margens. “A obra deve sair do papel, e devemos ir em busca de recursos”, avaliou.

Giovana citou o PAC Preveção como grande aliado da solução, por garantir recursos federais para a obra, que ela confirma ser demorada. Além das ações citadas pelo candidato, ela acrescentou a estruturação da Defesa Civil.

A candidata Giovana seguiu respondendo a questão sobre Segurança e a candidata Nadir comentou, sendo a pergunta referente ao tumulto ocorrido durante o Acampamento Farroupilha, quando jovens invadiram o local danificaram piquetes e agredindo tradicionalistas, apesar de acontecer na Praça Central, em frente à Prefeitura de Alvorada, o quartel da Brigada Militar, uma Delegacia de Polícia, Conselho Tutelar e Fórum, deixando alguns feridos e muitas pessoas assustadas. Qual a atuação do seu governo para contribuir a redução dessas ocorrências?

Todo o Estado está sofrendo com a violência, lembrou a petista, “graças ao desmonte da Brigada Militar e Polícia Civil promovido pelo Governo do Estado”, afirmou. Como ações municipais ela pretende trabalhar com prevenção para introduzir os jovens ao mundo da cidadania e não do crime. Também a Guarda Municipal armada e a iluminação das vias públicas devem funcionar para coibir a violência urbana.

Nadir lembrou que o Executivo municipal tem responsabilidade no que se refere à segurança e deve, entre outras ações, integrar as polícias.

Pela primeira vez em 13 anos, Alvorada tem mais demissões do que contratações. Jussara Mendes respondeu como aumentar a atração de investimentos à cidade, e promover o Desenvolvimento da indústria e comércio na cidade, visto que em 2015, pela primeira vez em 13 anos, a cidade registrou mais demissões que contratações, sendo que Carlos Drebes comentou.

Ela considera que o município tem sua força no comércio e na prestação de serviços, onde deve intensificar a atenção por parte da Administração Municipal, mas lamenta o abandono do Distrito Industrial, que também é um polo de investimento e ganho para a cidade. Carlos Drebes fez seu comentário na mesma linha, afirmando a importância da revitalização do Distrito Industrial.

O exercício da Cidadania através dos Conselhos Municipais foi a questão levantada a partir de matéria veiculada em 1 de julho. Através dos Conselhos Municipais é garantia a participação da comunidade em diversas áreas como Educação, Saúde, Cultura… Como seu governo pretende intensificar a ação desses conselhos nos próximos quatro anos?

Appolo respondeu que os Conselhos podem e devem auxiliar na administração do município, sendo um bom meio de participação. “Alvorada precisa de toda comunidade, principalmente dos Conselhos”, considerou.

Meri Brum comentou que quer os Conselhos Municipais fortalecidos e participativos.

O último questionamento do jornal O Alvoradense no segundo bloco foi relativo à Mobilidade Urbana, com o Impedimento jurídico deixa equipamentos danificados pela cidade. A pergunta foi: Além dos problemas com as estrutura de ruas e avenidas, há pela cidade dezenas de equipamentos de controle de velocidade desativados. Quais as ações para qualificar a mobilidade urbana em Alvorada?

Rodinei Rosseto respondeu que a situação em que se encontra a cidade se dá, entre outras coisas, pelo desmonte da Smov. Portanto propõe a recuperação dos equipamentos do parque rodoviário e projetos junto ao Governo do Estado, por exemplo. Aponta, ainda, a necessidade de correções no trânsito com abertura de vias alternativas e contratação de fiscais de trânsito.

Marconi comentou o sucateamento na área e a necessidade de estruturar os azuizinhos, para que possam ter uma maior atuação no trânsito da cidade.

Diálogo
No terceiro bloco os candidatos fizeram perguntas entre si, com tema livre. Quem iniciou foi Douglas que questionou Appolo sobre participação do PDT na Coligação, sendo que o partido do vice Valter Slayfer está há 16 anos na vice-prefeitura e qual será a novidade no novo governo.

Appolo falou  da necessidade de um governo sério e do Gabinete Aberto como forma de atender as pessoas de forma transparente, administração onde todos possam participar e com muito cuidado com o dinheiro público, ouvindo liderança e a comunidade para colaborar na administração e em busca de parceria.

Douglas lembrou que Alvorada precisa se abrir para coisas novas, que rompam um ciclo que se repita na cidade, com ações que funcionem e gestão com foco na eficiência.

Jussara pergunta sobre Segurança Pública à candidata Nadir, que afirma ser este um assunto muito delicado, uma questão pela qual o “povo anseia e que o gestor deve puxar para si”. Afirmou ainda, a necessidade de ter um Comitê de Segurança, em que os três poderes devem estar juntos no combate à criminalidade. Para ela a Alvorada para o Futuro – nome de sua coligação, passa pela segurança e a busca de parcerias, inclusive com a Acial.

Em sua resposta, Jussara afirmou não reconhecer na Acial uma entidade representativa do comercio e prestação de serviço, “pois busca apenas com seus próprios interesses”.

Animais de rua foi o tema da pergunta de Carlos Drebes a Marconi Olguins. Qual a solução para a situação dos animais abandonados? Marconi reconheceu ser uma causa social, com risco de saúde. Diz que vai incentivar e buscar recursos para as entidades que já trabalham neste sentido, com integração com a Prefeitura para a solução do problema.

Em resposta, Drebes falou do projeto do PEN de construir albergues municipais para o abrigo dos animais de rua, com presença de veterinários.

Em seguida Marconi seguiu perguntando a Giovana sobre a Lei Orgânica, artigo 61, que trata da contratação dos servidores públicos. Ela citou a necessidade de contratação de servidores através de concurso público, como melhor instrumento para tanto. Falou da necessidade de aumento do número de servidores para melhor atender a população.

Marconi ressaltou que o referido artigo trata das contratações do prefeito, ou seja, CCs, cujas negociações iniciam ainda nas campanhas e da necessidade de diminuir o número desses Cargos em Confiança.

Meri Brum questionou Douglas Martello sobre Saúde, quando citou seu contato com a Cruz Vermelha para lhe apoiar se eleita for.

O candidato salientou a necessidade de organizar a saúde em Alvorada, através do Plano Municipal de Saúde, que serve para o melhor gerenciamento da saúde na cidade, articulando os atuantes em saúde, além da abertura do UPA, descentralização da Farmácia , enfim, a organização da Saúde.

Meri avaliou que saúde não dá lucro, e por isso vai analisar cada detalhe ao assumir, para agir com eficiência.

Rosseto pergunta a Drebes sobre Educação, qual a proposta para a cidade. Um programa diferenciado foi garantido por Drebes, no sentido de por em funcionamento tudo o que não funciona. Valorizando o magistério, a categoria e o ambiente escolar. Rosseto diz ter medo do governo Appolo assumir a prefeitura porque hoje o PMBD deixou o estado um caos, inclusive com o parcelamento do salário dos servidores.

Giovana questionou Jussara sobre o seu conhecimento referente aos projetos cadastrados junto ao Plano de Aceleração do Crescimento do Governo Federal, frente a que Jussara afirmou que, não acredita que hajam esses projetos, frente ao déficit habitacional na cidade. Confirmou que não tem conhecimento, porque acredita que não existem esses projetos.

Giovana falou que o PAC não se reduz à habitação e citou o PAC da Frederico Dilhl, para a duplicação da Getulio Vargas e também o Pavimentação e o Prevenção. Jussara respondeu que pode haver PACs cadastrados porque não há projetos.

Meri Brum respondeu Appolo relativo à prioridade que dará ao Ensino Profissionalizante. Ela iniciou afirmando que não há desenvolvimento econômico sem a parceria com o social. Irá buscar aproximação com a sociedade, com universidades para uma gestão humanizada, profissionalizando inclusive o funcionário público. Appolo concordou que a humanização no atendimento ao cidadão é importante para o bom andamento dos serviços municipais.

Por fim, Nadir Machado perguntou a Rosseto sobre o não pagamento do salário do funcionalismo por parte da administração municipal. Rosseto citou o desmonte do estado e consequentemente do funcionalismo municipal, citando o não pagamento da trimestralidade e as longas greves realizadas na atual administração, citando ainda as diárias utilizadas erroneamente por parlamentares. Nadir afirmou que as diárias devem ser bem usadas, para a busca de recursos para a cidade, que é tão carente.

São Marcos
No quarto bloco os candidatos responderam as perguntas de alunos, egressos e professores da Faculdade São Marcos escolhendo o oponente que comentava cada questão.

A primeira questão foi relativa a Desenvolvimento Econômico e Trabalho, dirigida à candidata Jussara Mendes e comentada por Appolo. Qual a proposta efetiva para melhorar o desempenho econômico e reduzir o desemprego que afeta, especialmente, os jovens de baixa renda?

Jussara – Alvorada é uma cidade jovem e com aumento no número de jovens e ela diz não perceber ações, projetos, relativos a isso, principalmente na qualificação profissional da juventude. Uma solução seriam as faculdades e universidades atraídas para Alvorada, para oferecer melhores condições de estudo e qualificação.

Appolo – Diz que a maioria das empresas de Alvorada não empregam alvoradenses por falta de mão de obra qualificada, por isso é um defensor ferrenho do ensino profissionalizante.

Ainda no eixo Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Nadir Machado respondeu e Meri Brum comentou sobre estratégias de desenvolvimento econômico e atração de novas empresas para a criação de novos postos de trabalho.

Nadir – Desenvolvimento da cidade passa pela indústria e comércio e por isso a indicação do secretário será realizada pela Acial. Também vai promover infraestrutura completa ao Distrito Industrial, para dar futuro à cidade.

Meri – Proposta é construir, com a Acial, o nome do Secretário Municipal de Desenvolviemtno Econômico e um Conselho de Governo com a participação dos empresários.

Educação também esteve na pauta da São Marcos. Giovana Thiago respondeu e Nadir comentou qual a estratégia para modificar o Idese, em que Alvorada ficou com 0,568, pior desempenho de todos os municípios gaúchos?

Giovana – Melhorando o atendimento nas áreas de educação, saúde e renda, que compõem o índice. Incluindo saneamento básico, e buscando maior qualificação na educação, através, entre outros, do Instituto Federal do RS.

Nadir – É necessária gestão para as dificuldades do município, sem isso não há como resolver. “Temos que fazer muito com pouco”.

Ainda sobre o tema Segurança responde Marconi Olgins e comenta Rodinei Rosseto sobre qual será a estratégia para frear a onde de criminalidade em Alvorada?

Marconi – Criminalidade crescente em Alvorada e região. Já entrou em contato com a Brigada Militar e afinaram ideias e planos para montar parceria com as polícias e o município.

Rosseto – Segurança Pública é responsabilidade do governo municipal, mas deve ter uma Guarda Municipal atuante e a qualificação da vigilância.

Segurança, com prevenção em educação e atividades completares foi a pergunta dirigida a Meri Brum e comentada por Carlos Drebes

Meri – Na área da segurança ela vai contar com a assessoria do delegado Mallmann, que já atuou em diversos estado e no Rio Grande do Sul, e garante uma equipe técnica de qualidade. E para os jovens haverá o cuidado dos jovens com cursos, qualificação, prevenção, inclusive com projetos na área de drogadição.

Drebes – A necessidade de segurança vem junto com gestão e parceria, inclusive com o Governo do Estado; armar a Guarda Municipal…

Aluno do sétimo semestre perguntou a Appolo, com comentário de Jussara Mendes, qual o plano para colocar a UPA e postos de saúde em atividade, e como irá melhorar a saúde em Alvorada.

Appolo – Saúde é um direito do cidadão e deve ser a base de qualquer administração, sendo que o município deve buscar recursos em todas as áreas para realizar uma boa administração, falta gestão. Diminuindo o número de CCs e FGs, deverá sobrar recursos para investir nessa área, com o apoio de todos os segmentos da sociedade.

Jussara – Saúde passa por má administração, pois não há falta de recursos, inclusive citou o PAM que fecha cedo.

No tema Cheias Douglas Martello respondeu e Giovana Thiago comentou qual o planejamento de governo para o controle de cheias e solução definitiva.

Douglas – Voltou a citar o projeto em andamento na Metroplan para a construção do Dique e afirmou que o papel da Prefeitura é acompanhar e fiscalizar a realização da obra e fazer o desassoreamento do arroio e conscientizar a população para não jogar lixo, ou seja, ações de prevenção.

Giovana – Confirmou o papel da Prefeitura em fiscalizar a execução da obra que está sendo estudada pela Metroplan. Assim como fortalecer a Defesa Civil enquanto a obra não fica pronta.

No tema Mobilidade Urbana, foi levanta a questão das ciclovias como alternativa, ou projetos de custo baixo,respondida por Rodinei Rosseto, comentada por Douglas Martello.

Rosseto – Rotas alternativas é uma proposta, ligando os bairros por dentro da cidade, com ciclovias. Também construir novas pontes ou ainda ampliando as já existentes, com parceria com os governos Estadual ou Federal. Hoje Alvorada tem apenas três vias principais, outra opção é o estacionamento rotativo na avenida principal e no entorno.

Douglas – Para termos mobilidade urbana é preciso ter ruas, e hoje a cidade está sucateada, destruída. É necessário recuperar a malha urbana e discutir as mudanças necessárias com Acial e comunidade.

Voltando ao tema Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Carlos Drebes respondeu com comentário de Marconi Olguins. Qual o apoio que a nova administração dará para a ampliação da Faculdade São Marcos e a atração de outras faculdades?

Drebes – Através de parcerias se dará o crescimento da cidade, e quem dirá as necessidades de desenvolvimento e investimentos será a empresa que quiser investir na cidade. Também se dará através de uma gestão eficiente, e a correta utilização de recursos.

Marconi – Qualquer tentativa de parceria e participação será bem vinda, principalmente dentro das questões técnicas.

Antes das considerações finais, os candidatos que pediram direito de resposta tiveram 30 segundos para se manifestas e, após, todos se despediram dos eleitores após cerca de três horas de debate e transmissão ao vivo pelo site do jornal O Alvoradense.

Fonte: O Alvoradense