Justiça considerou que Deborah Secco foi utilizada como laranja do pai para desviar verbas públicas | Foto: Divulgação/OA
Justiça considerou que Deborah Secco foi utilizada como laranja do pai para desviar verbas públicas | Foto: Divulgação/OA

A Justiça do Rio de Janeiro determinou que atriz Deborah Secco terá de devolver R$ 158 mil aos cofres públicos após condenação por desvio de verbas públicas.

A sentença, que investigou caso de enriquecimento ilícito e improbidade administrativa, é do juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 3ª Vara de Fazenda Pública.

De acordo com a decisão, que ainda pode receber recurso, a pena prevê multa de R$ 5 mil, suspensão de direitos políticos dos envolvidos e a proibição de firmar contratos com o Poder Público ou receber incentivos fiscais.

Na conta de Deborah teriam sido descontados dois cheques, nos valores de R$ 77 mil e R$ 81 mil, referentes a desvio de verbas de um esquema fraudulento envolvendo a Fundação Escola do Serviço Público (Fesp) e ONGs. Quantias ainda maiores foram depositadas nas contas da Luz Produções, empresa da família, e dos parentes da atriz. Os repasses ultrapassam os R$ 446 mil, valor que terá que ser devolvido aos cofres públicos pela mãe, os irmãos e a produtora.

Segundo as investigações, órgãos do governo do Rio contratavam a Fesp para realizar projetos mesmo sabendo que ela não conseguiria cumprir o combinado. A fundação, então, repassava os contratos às ONGs representadas pelo pai da atriz, Ricardo Tindó Ribeiro Secco, apontado como chefe do esquema. Na conta dele e da mulher, Angelina, foram depositados R$ 453 mil. Deborah Secco teria servido como laranja para o pai.

Fonte: O Alvoradense