Diálogo ocorreu pelo aplicado de celular WhastApp | Foto: Reprodução / OA
Diálogo ocorreu pelo aplicado de celular WhastApp | Foto: Reprodução / OA

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada (Sima) emitiu nota de repúdio, nesta quarta-feira (10), contra o secretário de Administração Ramiro Passos, sobre o que classificou como uma tentativa de “corromper a dirigente sindical” Adriana Menezes.

Em conversa no WhatsApp obtida pelo O Alvoradense, Ramiro escreve que liberaria o pagamento da licença prêmio da servidora caso ela conseguisse a aprovação, por parte do Sima, da proposta de reajuste de pagamento dos municipários.

Adriana é primeira secretária do sindicato. Segundo a nota, “o assédio foi veementemente repudiado pela dirigente, que imediatamente registrou, na íntegra, a mensagem virtual no Tabelionato de Notas de Alvorada, a fim de tornar público e atribuir fé pública ao fato, e adotar as providências cabíveis”.

Segundo o presidente Rodinei Rosseto, o sindicato acionará a Prefeitura na Justiça. “Queremos o afastamento do secretário”, explica Rosseto.

Uma assembleia extraordinária, que já está marcada para esta quinta-feira (11), definirá o posicionamento dos municipários sobre a proposta apresentada pelo governo.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Alvorada – SIMA, denuncia à sociedade alvoradense o fato ocorrido no dia 03 de junho de 2015. Em meio ao período de negociação entre sindicato e Prefeitura Municipal de Alvorada, o Secretário Municipal de Administração, Ramiro Passos, de maneira desleal e ilegal, condicionou o pagamento da licença-prêmio vencida da servidora Adriana Menezes, que ocupa a Primeira Secretaria do SIMA, ao aceite da última proposta para os municipários realizada pela Prefeitura Municipal de Alvorada.
O Secretário Ramiro Passos tentou – desavergonhadamente – corromper a dirigente sindical, através de uma mensagem eletrônica na qual propõem expressamente: “Faz a proposta do governo ser aprovada q libero!”. O assédio foi veementemente repudiado pela dirigente, que imediatamente registrou, na íntegra, a mensagem virtual no Tabelionato de Notas de Alvorada, a fim de tornar público e atribuir fé pública ao fato, e adotar as providências cabíveis.
O fato de Ramiro Passos condicionar o pagamento da licença-prêmio, direito legalmente adquirido, ao aceite, pelo SIMA, da proposta patronal, configura claramente a ação ilícita, além de uma notável despreocupação do Secretário com a melhora nas condições de trabalho e de vida dos servidores.
O SIMA dará prosseguimento a gestão transparente e combativa que nos é característica, e ressaltamos, aqui – e especialmente para o Secretário Ramiro Passos – que não aceitaremos qualquer proposta indecorosa ou descomprometida com os interesses dos trabalhadores de Alvorada.
O SIMA REPUDIA a forma escusa com a qual Secretário Ramiro Passos tenta “negociar” os direitos dos servidores, e reafirma que, se em algum momento da história sindical de Alvorada esta prática foi adotada, NÃO SE REPETIRÁ, pois nenhum dos nossos dirigentes irá se render a pressões e aos métodos desonestos de negociação da Prefeitura Municipal de Alvorada.
O SIMA seguirá INDEPENDENTE E ATUANTE, sempre empenhado na luta pelos direitos dos servidores, e além das medidas legais cabíveis, cobra, publicamente, postura e atitude do Prefeito Municipal de Alvorada, Sérgio Bertoldi, que se elegeu com um discurso de combate a corrupção.
Alvorada, 10 de junho de 2015.

Leia mais: 
Secretário admite erro, mas garante que conversa era ‘descontraída’

Fonte: O Alvoradense