Desde o fim de semana 27 desabrigados estão sendo atendidos no Ginásio Municipal | Foto: CCS / Divulgação / OA

Um último balanço divulgado pela Prefeitura no final na tarde desta quarta-feira (09) afirma que cerca de 2 mil pessoas em Alvorada tiveram que deixar suas casas depois do temporal que atingiu a cidade na noite da última sexta-feira (04). Mesmo depois de alguns dias de tempo seco parte dos atingidos ainda não conseguiu retornar para suas casas.

Destas, 27 estão desabrigadas e seguem sendo atendidas no Ginásio Municipal Tancredo Neves, o restante conseguiu abrigo na casa de amigos e parentes.

Os bairros Americana e Nova Americana são os mais atingidos pela enchente que começou mais cedo este ano. Em anos anteriores os primeiros registros de cheias do arroio Feijó aconteciam em meados de setembro.

Segundo a Prefeitura, equipes das secretarias de Assistência Social, Direitos Humanos e Juventude estão dando apoio aos desabrigados. Entre as ações oferecidas pela Prefeitura estão os locais para dormitórios, banheiros com chuveiros, roupas, cobertores e outros acessórios fornecidos pela Loja Social, além de alimentação completa com café da manhã, almoço, café da tarde e janta, área de lazer para as crianças e outros serviços.

Desde sábado (05) equipes realizam serviços de limpeza das margens do arroio na tentativa de amenizar os danos causados pela chuva, no bairro Americana. Foram efetuadas retiradas de lixo, areia e detritos.

Obras do dique estão previstas para outubro
A Caixa Econômica Federal e o Ministério das Cidades aprovaram os termos de referência dos diques de Alvorada e Eldorado do Sul e os estudos de alternativas para os Rios dos Sinos e Gravataí, na Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano Regional (Metroplan).

O Edital deve ser lançado em agosto e o início dos serviços devem começar em outubro deste ano. Os recursos do Ministério das Cidades destinados para o PAC2 – Plano Nacional de Gestão de Riscos e Respostas a Desastres Naturais, são de R$ 228 milhões.

Chuvas no RS
O governo federal publicou nesta quinta-feira (10) o decreto que reconhece a situação de emergência para 124 municípios gaúchos e a situação de calamidade pública para outros dois: Barra do Guarita e Iraí. As cidades foram prejudicadas pelas enchentes nos últimos dias. A portaria é assinada pelo Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira.

De acordo com a portaria, os municípios agora têm prazo de até 10 dias para apresentar documentação junto ao governo. Para o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Oscar Moiano, o decreto federal que reconhece a situação de emergência é uma forma de agilizar o repasse de recursos, que normalmente é burocrático. De acordo com Moiano, o primeiro aporte de recursos requisitado ao governo federal é de R$ 19 milhões.

Fonte: O Alvoradense