Procura por atendimento no final do ano foi pequeno, o que contribuiu para a demora em atingir a meta de 80% de cadastros | Foto: Jonathas Costa / O Alvoradense

O baixo índice de recadastramento biométrico ameaça a homologação do cadastro eleitoral em municípios gaúchos, entre eles Alvorada.

A informação foi revelada pelo jornal Correio do Povo nesse domingo (21). Assim como Alvorada, os eleitores de Caxias do Sul, Pelotas e Viamão têm até 16 de março para registrar suas digitais para leitura pelas urnas eletrônicas.

O serviço, porém, esbarra na baixa procura pelos eleitores e em limitações estruturais. Enquanto o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precisa de 80% do eleitorado efetivado para homologar o cadastro biométrico, a um mês do prazo final, parte dos municípios com grandes colégios eleitorais ainda não atingiram metade do total de eleitores.

Um dos casos é o de Alvorada, que tem cerca de 145 mil eleitores e fechou seu balanço parcial, na última sexta-feira (19), com pouco menos de 57 mil cadastramentos realizados, o que corresponde a 37% do serviço. De acordo com a chefe do cartório eleitoral de Alvorada, Avelina Madruga Lautert, a previsão é de que, até 16 de março, Alvorada tenha conseguido cadastrar entre 60% e 70% de seus eleitores, conforme já havia antecipado o jornal O Alvoradense. “Estamos fazendo um grande esforço para superarmos este prognóstico. Para que isso ocorra, teremos plantões nos finais de semana de março e retomamos o agendamento por telefone”, relata Avelina.

As consequências também têm impacto sobre a vida do eleitor, pois quem não fizer o recadastramento sofrerá uma série de impedimentos legais. Além de não poder votar para prefeito e vereador em outubro, quem não se recadastrar também não poderá fazer passaporte, tomar posse em cargos públicos e receber benefícios sociais, como o Bolsa Família, por exemplo.

• CONFIRA: Saiba como agendar horário para realizar o recadastro eleitoral e evitar fila

Em Viamão, foram efetivados cerca de 70 mil recadastramentos de um universo superior a 170 mil eleitores, o que representa quase 42%. Alvorada e Viamão deverão ter plantões de atendimento nos finais de semana em março.

Já em Caxias do Sul, cerca de 171 mil dos mais de 330 mil eleitores registraram suas digitais. O dado parcial corresponde a pouco mais de 51% dos eleitores do município. “O prazo ficou apertado, talvez pela cultura das pessoas de deixar esse tipo de compromisso para os últimos dias. Em dezembro, por exemplo, tivemos baixíssima procura. Outro fator é o corte orçamentário da Justiça estadual, que repercutiu na prestação dos serviços eleitorais”, avalia o chefe do cartório eleitoral, que coordenado o recadastramento em Caxias do Sul, Édson Borowski.

Outra situação que desafia o cumprimento do objetivo, explica a chefe do cartório eleitoral de Pelotas, Luciane Lemos Diniz, é o prazo limitado estabelecido pelo Tribunal Superior eleitoral para que as unidades municipais montassem estruturas de trabalho distintas das atividades convencionais. “Tivemos que elaborar estruturas cartorárias totalmente novas, treinar pessoal e organizar o atendimento a uma grande população”, relata. Em Pelotas, foram efetivados cerca de 145 mil cadastramentos, cerca de 57% do número de eleitores, que ultrapassa 253 mil.

De acordo com a resolução do TSE, quem não estiver recadastrado nos municípios onde a biometria tornou-se obrigatória perderá o título em 17 de março. A Justiça Eleitoral divulgará os meios para regularização. As estratégias para atingir a totalidade de eleitores serão definidas pelo Tribunal Regional Eleitoral em cada estado.

Fonte: Correio do Povo