Bueiro aberto
Já faz mais de dois meses que tem um bueiro aberto na esquina da minha casa (foto ao lado). Bem ao lado, na rua Andrade Neves, tem uma escola. Duas pessoas já caíram no bueiro. Já reclamei para a prefeitura e até agora nada foi feito. Nosso maior medo é que muitas crianças passam pelo local, o que pode gerar novas vítimas.
Fabricio de Lima – Intersul

Cachorro abandonado
Um cachorro está há cinco meses abandonado na travessa Amazonas, próximo à rua México. Algumas pessoas maltratam o animal, lhe tocam água gelada e dão de vassoura nele. Onde o cão normalmente dormia, plantaram espinhos. Ele está com sarna e sangrando muito. Eu lhe dou comida, água e remédio. Só não fico com ele porque já tenho seis cachorros de rua e estou desempregado. Com o pouco que tenho ajudo ele, mas a sarna é que ele possui é grave e necessita de longo tratamento. Peço a ajuda para que um veterinário o sacrifique, para terminar com seu sofrimento. É de cortar o coração.
Luciano Ribeiro – Maringá

Lixo e falta de educação
O problema do lixo são os pais que não educam seus filhos desde pequenos a não jogarem na rua. Lugar de lixo é na lata de lixo. Estou com 53 anos. Fui criada assim e passei isso para meus filhos. Sempre que saia com eles, minha bolsa voltava cheia de papel de bala, salgadinho, etc. Se não tinha uma lixeira perto, eles colocavam na minha bolsa para em casa colocarem no lixo. Hoje são adultos conscientes, que não sujam a cidade, nem jogam lixo em qualquer lugar. Educação! É isso que falta. Pais mal educados só poderão gerar e criar filhos também mal educados.
Vânia de Martini