Apesar do feriado de sexta-feira (15) o trabalho da Policia Federal foi intenso. O ministro do Supremo Tribunal Federal decretou, ainda durante o feriado a prisão imediata dos primeiros condenados pelo mensalão Ainda nesta segunda-feira Joaquim Barbosa deve decretar a prisão de mais sete envolvidos no esquema de corrupção.

Dos condenados que tiveram a prisão imediata decretada neste final final de semana, apenas um não se apresentou à Policia Federal, foi considerado foragido e está sendo procurado pela Interopol.

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão em regime fechado, passa a ser procurado pela Interpol. Segundo o delegado de plantão da Polícia Federal Marcelo Nogueira, uma foto de Pizzolato foi enviada para todas as polícias do mundo em um sistema chamado de Difusão Vermelha.

O ministro José Dirceu, o deputado José Genoino (PT) e o publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza estão entre os condenados que se entregaram durante o final de semana.

Outros sete devem ter as prisões determinadas hoje (18) pela Justiça entre eles estão os deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT), além do delator do esquema, Roberto Jefferson.

A decisão sobre a execução das penas foi tomada na quarta-feira (13) após os ministros rejeitarem os segundos embargos de declaração apresentados pelos réus condenados no processo. Os ministros seguiram o voto divergente de Teori Zavascki. Ele entendeu que todos os réus podem ter as penas executadas, exceto nos crimes em que questionaram as condenações por meio dos embargos infringentes, recurso previsto para os réus que obtiveram pelo menos quatro votos pela absolvição, outra fase de recursos. O entendimento permite a prisão dos réus que tiveram os embargos rejeitados e dos condenados que, mesmo tendo direito aos infringentes, não questionaram as penas por meio deste recurso.

Se entregaram à Policia Federal:

– José Genoinio, deputado federal e ex-presidente do PT, entregou-se à PF em São Paulo.

– Simone Vasconcelos, ex-funcionária do publicitário Marcos Valério, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

– Cristiano Paz, ex-sócio de Valério, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

– Kátia Rabello, ex-presidenta do Banco Rural, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

– Romeu Queiroz, ex-deputado federal, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

– Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do PL (atual PR), entregou-se à PF em Brasília.

– José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, entregou-se à PF em São Paulo.

– Marcos Valério, publicitário considerado operador do esquema, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

– Ramon Hollerbach, ex-sócio de Marcos Valério, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

– Roberto Salgado, ex-dirigente do Banco Rural, entregou-se à PF em Belo Horizonte.

Defesa pede ao STF para Genoino cumprir pena em casa
A defesa do ex-presidente do PT e deputado federal licenciado José Genoino pediu neste domingo ao Supremo Tribunal Federal (STF) que possa cumprir sua pena em regime domiciliar. Os advogados de Genoino alegam que o pedido se baseia na precária condição de saúde do petista. Não há decisão tomada sobre o pedido.

Em julho, ele passou por uma cirurgia cardíaca em São Paulo, ficando internado até o dia 20 de agosto. Nesse sábado, Genoino passou mal na Base Aérea da Pampulha, em Belo Horizonte, logo que o avião da Polícia Federal pousou. A pressão arterial subiu e ele teve que ser atendido e medicado ainda no aeroporto. Ele está preso na Penitenciária da Papuda, juntamente com outros condenados no processo do mensalão.

O ex-presidente do PT cumpre pena em regime semiaberto pelo crime de corrupção ativa, pelo qual foi punido com pena de 4 anos e 8 meses de prisão. Ele ainda tem chances de se livrar da punição por formação de quadrilha em julgamento previsto para ocorrer ano que vem no Supremo.

Fonte: O Alvoradense  / Com informações Correio do Povo