Foto: Valter Campanato / Agência Brasil / Arquivo / OA

Afastado do cargo desde o dia 5 de maio, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) renunciou à presidência da Câmara no início da tarde desta quinta-feira (7). Além do afastamento, o Supremo Tribunal Federal (STF) também suspendeu seu mandato por tempo indeterminado.

Após entregar a carta de renuncia à Secretaria Geral da Mesa, Cunha fez um pronunciamento de sua decisão no Salão Verde da Câmara e ficou visivelmente emocionado ao citar a família, “estão atacando de forma covarde, especialmente a minha mulher e a minha filha mais velha”, disse ele.  A mulher de Cunha, Claudia Cruz, é ré da Operação Lava Jato.

A carta foi encaminhada ao presidente interino da Casa, deputado Waldir Maranhão (PP-MA) e foi lida na íntegra aos presentes, a quem afirmou que decidiu atender aos pelos “generalizados” dos apoiadores e renunciar já que, segundo ele “a Câmara está sem direção”.

Processo
O deputado Federal Eduardo Cunha é investigado na Operação Lava Jato, réu em duas ações no STF e alvo de uma terceira denúncia. Também responde a um processo disciplinar no Conselho de Ética da Câmara, que aprovou um parecer pela cassação do mandato.

Fonte: O Alvoradense