Especialistas afirmam que ainda há muito o que investir no Distrito Industrial | Foto: Divulgação / CCS / OA

Os próximos administradores públicos de Alvorada deverão ter um cuidado especial com o setor trabalhista a fim de manter o índice de desemprego em queda.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2012 a taxa de desocupação na região metropolitana de Porto Alegre foi de 4,5%, menor taxa desde 2002.

Para manter esses dados, serão necessários investimentos na indústria e no comércio, além de incentivos fiscais para novos empreendimentos e empresas tradicionais.

“O maior desafio é ampliar o distrito industrial, pois uma grande dificuldade da cidade é atrair novos empreendimentos em função do pouco espaço físico”, afirma o presidente da Associação Comercial e Industrial de Alvorada (Acial), Maurício Cardoso.

Para ele, o próximo prefeito deverá realizar investimentos que tornem a cidade atraente para as indústrias através da ampliação das áreas produtivas destinadas ao setor.

Atualmente a atividade local é bastante reduzida, e as grandes empresas buscam outros locais para se instalarem.

Com a criação de projetos destinados à zona produtiva da cidade, ela então passará a ser mais competitiva em relação a outras cidades da região metropolitana.

O futuro prefeito terá de estreitar relações com os braços sindicais da cidade. O Sindicato dos Empregados no Comércio em Alvorada (Sindec) espera que o próximo candidato seja mais próximo ao órgão para que juntos possam trabalhar para trazer melhorias aos comerciários.

Segundo um dos diretores do Sindec, Carlos Eduardo Vilar, um assunto que deve ser tratado o mais breve possível é a especialização do trabalho manual, através de investimentos em cursos de preparação para o mercado.

“Hoje eu não tenho currículos para marceneiros, açougueiros ou para a área de ferragem, é preciso investir na profissionalização destas áreas também”, esclarece o líder sindical.

Outra medida importante a ser tomada pelos próximos representantes dos poderes executivo e legislativo municipal é a redução nas cargas tributárias das pequenas e médias empresas. Incentivos financeiros que atraem empregos e renda para a região são considerados urgentes. O investimento em novos empreendimentos valorizaria o trabalho local e pode ajudar no processo de circulação da economia da cidade, avaliam especialistas.

Fonte: Anselmo Cunha / O Alvoradense