Ex-presidente Lula participou de entrevista coletiva no Diretório Nacional do PT, em São Paulo | Foto: Agência Brasil / OA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi levado para depor à Polícia Federal nesta sexta-feira (4). Ele é o principal alvo da 24ª fase da operação Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de desvio e lavagem de dinheiro envolvendo a Petrobras.

Por um mandado assinado pelo juiz Sério Moro, Lula foi levado por meio de condução coercitiva, quando um agente conduz a pessoa para prestar depoimento. Este foi um dos principais pontos criticados pelo ex-presidente mais tarde. “Jamais se recusaria a prestar depoimento. Não precisaria ter mandado uma coerção”, ponderou Lula.

O depoimento de Luiz Inácio levou mais de três horas em um posto da Polícia Federal no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Na saída ele foi ao diretório central do Partido dos Trabalhadores (PT), onde se encontrou com militantes e se pronunciou. Lula bradou que “se quiseram matar a jararaca, não mataram a jararaca, pois bateram no rabo, não na cabeça. Quero dizer que a jararaca tá viva”.

Sérgio Moro expediu outros onze mandados de condução coercitiva, além de 33 mandados de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

Fonte: O Alvoradense