Servidores realizaram caminhada nesta manhã | Foto: Jonathas Costa / OA
Servidores realizaram caminhada nesta manhã | Foto: Jonathas Costa / OA

Centenas de servidores municipais paralisaram as atividades nesta terça-feira para reivindicar aumento no vale-refeição da categoria. Postos de saúde, escolas e secretarias tiveram o atendimento afetado parcialmente.

Durante a parte da manhã a Unidade Básica de Saúde do bairro Americana teve o atendimento reduzido. De acordo com o sindicato, apesar da pouca adesão, 22 escolas tiveram paralisação parcial. A prefeitura diz que são 12.

• FOTOS: Confira mais imagens dos protestos desta manhã
• Contra proposta: Prefeitura estuda pagamento do vale durante férias

Concentrados em frente à prefeitura desde as 8h, o grupo levou para o Paço Municipal panelas, cartazes, apitos e aparelhos de som. Eles se alternaram no microfone para relatar casos de perseguição sofrida pelos profissionais.

Por volta das 10h a contra proposta do governo foi apresentada. Os servidores consideraram que as principais reivindicações não foram acolhidas e decidiram sair em caminhada pelas ruas do Centro.

As duas pistas da avenida Presidente Getúlio Vargas fora bloqueadas as 11h. Da prefeitura o grupo seguiu até a Secretaria da Saúde, na rua Roberto de Souza Feijó. Em frente ao prédio eles chamaram os servidores que permaneceram trabalhando para a rua.

O apoio veio da população que era atendida no local. Uma senhora deixou o interior do prédio, foi até o carro de som e reclamou da demora para marcação de consulta com um ortopedista.

Dalí partiram em caminhada até o Ministério Público, onde prometem entregar nesta tarde uma denúncia formal sobre os abusos e pressões que servidores estariam sofrendo.

Na volta para o Paço a Getúlio Vargas foi novamente bloqueada. Em meio ao congestionamento que se formou na região, alguns motoristas buzinavam em favor dos manifestantes.

Caminhada foi até o prédio da Secretaria de Saúde | Foto: Jonathas Costa / OA
Caminhada foi até o prédio da Secretaria de Saúde | Foto: Jonathas Costa / OA

 

Fonte: O Alvoradense