DESFALQUE. Jajá, que substituiu D’Alessandro, não deu conta do recado no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação/OA

Alguns por aí declararam Fluminense e Internacional como o novo clássico brasileiro. Tal dito sai da última partida dos times, que marcou as oitavas de final da Libertadores da América. De um lado o bicampeão da competição Sul-Americana; do outro, alguns heróis dessa conquista, como Abel Braga, Rafael Sóbis e Edinho. Bom, vendo por esse lado, até concordo com o codinome Clássico.

Nem Inter e nem Flu estão disputando a taça, porém, fizeram a partida da rodada do brasileirão deste final de semana. E essa grande partida não saiu das duas bocas a-bertas bocejando. O 0x0 cansou o torcedor. Não houve nada de superextraordinário nesse jogo. Não pela ausência de Oscar e Damião, que recém retornaram da Seleção Brasileira, pois provavelmente, mesmo se ambos estivessem em campo, a história não teria mudado tanto. Nem a arbitragem, nem a escalação colaboraram. Dorival mandou para campo um estranho 4-3-3 que mostrou moleza e passes errados no primeiro tempo. Com a vinda do intervalo, todo mundo achou que os mais cansados sairiam de campo para a entrada de sangues famintos por gol. Mas não. O técnico do Inter seguiu com Marco Aurélio e Gilberto. Não avançou o time e deixou o recuo como o seu principal triunfo. Fez errado, pois em vista o Fluminense não conseguia as finalizações que trabalhou.

Foram dois pontos perdidos para o Inter, que estava melhor em campo mas teve seus pontos prejudiciais. Os próximos jogos já contam com a participação dos garotos da Seleção (inclusive Guiñazu, que jogou pela Argentina). Esse um ponto somado fora fez o Inter cair para a quarta colocação.

Internacional: Muriel; Nei, Indio, Rodrigo Moledo, Fabrício, Jajá, Elton, Sandro Silva, Dagoberto (Fred), Marcos Aurélio (Mike), Gilberto (Maurides).

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno, Anderson, Gum, Carleto, Deco, Jean, Edinho, Wagner (Lanzini), Wellington Nem (Matheus Carvalho), Fred (Samuel).

Fonte: O Alvoradense